Antonio Pascoal Donadio

0
140

DESTAQUE

O Destaque dessa semana é um cara que eu pessoalmente tenho uma admiração muito grande pela sua grandiosidade, fidelidade aos amigos e de um potencial de trabalho inesgotável e um desbravador na conquista de clientes que pelas suas mãos viraram anunciantes do mercado gaúcho.Trata-se da figura querida de Antonio Pascoal Donadio.

As palavras inquietude e energia definem bem o meu estilo.

Aos 59 anos (ninguém acredita), permaneço sedento de aprendizado e de novos desafios, já que entusiasmo nunca me falta. Depois de passar por agências de publicidade do nosso mercado, início da minha carreira, hoje sou Diretor de Mercado Interior RS do Grupo RBS  – já são 43 anos de experiência nas áreas de propaganda, comercial e comunicação, 35 destes só no Grupo RBS. No final do ano, serei um dos Jubilados do Grupo RBS, com muita alegria e orgulho, esperando ansioso este dia chegar, pois sou absurdamente apaixonado pela RBS, extremamente identificado com seus valores e, especialmente, seu propósito de Informar é Transformar!!

Além da minha atividade na RBS, desde 2002, faço parte da direção da Associação Gaúcha de Emissoras de Rádio e Televisão (AGERT), onde atuo como um de seus vice-presidentes, procurando contribuir com o desenvolvimento da nossa radiodifusão.

Apaixonado pelo que faço, quando fui diretor comercial da Gaúcha, não hesitei em adaptar meu sobrenome, primeiramente, para “Dorádio” e, depois, com o surgimento de novas tecnologias e inovações, para “Donáudio”, conseguindo, de forma espontânea, fazer com que as pessoas passassem a me chamar assim” até hoje.

Eu nasci em Porto Alegre, em 4 de abril de 1958. Venho de família humilde, cujo pai veio sozinho da Itália “com uma mão na frente e outra atrás”, deixando terras onde cultivava olivas, figos e fazia vinho com os pés. Chegando aqui, construiu uma vida com muitas dificuldades. Sua primeira profissão, sem falar uma palavra em português, foi de bilheteiro na Rua da Praia. Logo depois de se estabilizar, vieram minha mãe Carmela e meus dois irmãos mais velhos, Lucia e Rocco, nascidos lá, em Morano Cálabro. Esta foi minha base familiar, da qual me orgulho muito pelos valores, exemplos e ensinamentos que meus pais e irmãos me legaram.

Toda minha carreira profissional foi delineada na área da publicidade e propaganda.

Quando tinha 15 anos, decidi começar a trabalhar. A oportunidade para ajudar a família surgiu ao conseguir, através do irmão mais velho, Rocco Donádio, uma vaga de office-boy do departamento de mídia da Mercur Publicidade. Eu comecei muito simples e tenho muito orgulho disso. Nesta época, eu já tinha comigo algo que eu carrego até hoje e que realmente fez com que eu crescesse bastante: a curiosidade. E eu acho isso de extrema importância, de extremo valor, inclusive, nos dias atuais. Não podemos perder a curiosidade! Eu não me considerava simplesmente um office-boy, porque toda vez que eu levava alguma autorização de publicidade para os veículos de comunicação, eu ia olhando, lendo e me interessando. Toda vez que eu voltava pro escritório da agência, Mercur Publicidade, eu perguntava pro meu primeiro chefe, Sergio Ivan Portela, do que se tratava pra tentar entender. Foi quando o meu real interesse foi percebido e, em menos de seis meses, resultou na primeira promoção, conquistando o cargo de assistente de Mídia, trabalhando diretamente para o João Manoel Martins, conhecido como Maneca, querido colega e que me inspirou e ensinou demais como mídia.

Os próximos desafios foram na McCann Erickson, Símbolo Propaganda e Escala, sempre na área de mídia. Eu tenho o maior respeito pelos profissionais de Mídia. Com muito orgulho, eu comecei minha carreira nesta área, foi aí que eu consegui construir a minha rede de relacionamentos e me posicionar no mercado. E desde que eu entrei nesta área, me encantei e me apaixonei. Eu vi que era o meu mundo.

Depois da vivência em agências, entendendo que deveria buscar novos desafios e experiências profissionais, tive uma passagem muito rápida pela Pereira de Souza Representações, convite do João Pandolfo. Muito rapidamente, fui convidado pelo saudoso Ênio Berwanger, grande diretor da Rádio Guaíba, antiga Caldas Junior, em 1981, para fazer parte do novo time comercial dos jornais Correio do Povo, Folha da Manhã e Folha da Tarde, como contato de publicidade, cujo gerente comercial foi Anisio Barreto, que vinha de São Paulo para montar uma estrutura de atendimento às agências e clientes do mercado gaúcho.

Não demorou muito e surgiu o grande convite do Ademir Gondran e Ricardo Gentilini – dois extraordinários profissionais com quem aprendi muito – para ingressar no Grupo RBS, onde estou desde o dia 01 de abril de 1982, começando como contato de publicidade na área de TV (antigas Geradoras do Interior – Rede Regional de Televisão) e, mais tarde, em 1987, tornando-me Gerente Executivo da RBS TV Caxias, convite que recebi do meu amigo e eterno parceiro Rogério Caldana. No evento de apresentação para mais de 400 empresários da Serra Gaúcha, resolvi ousar, fazendo meu discurso de posse em italiano, de chegada, cativando os presentes, sendo muito bem recebido. Meu pai e minha mãe estavam presentes, muito orgulhosos do filho! Foi um momento muito importante na minha carreira e crescimento profissional, assumindo uma posição de liderança executiva no Grupo RBS, antes dos 30 anos de idade. Neste período tive a grande satisfação de conviver com José Maurício Pires Alves, grande mestre da área comercial da RBS TV, hoje vivendo em São Paulo.

Três anos depois, super adaptado ao mercado da serra, recebi nova missão, a convite do Madruga Duarte, e retornei para Porto Alegre para mais um enorme desafio, o de assumir a posição Gerente Executivo de Comercialização do jornal Zero Hora, cargo no qual permaneci durante quase dez anos. Ter tido a oportunidade de trabalhar com Madruga Duarte foi uma experiência fascinante por seu estilo muito diferenciado e pragmático, um grande aprendizado.

Em 1999, mais uma vez, novos rumos dentro do Grupo RBS. Era hora de ter uma experiência no único veículo que faltava: o rádio. Convidado por Geraldo Correa, assumi a Gerência Executiva de Comercialização das emissoras de rádio de Porto Alegre do Grupo RBS. Agradeço imensamente ao Geraldo essa oportunidade, pois através dela, junto com um time muito qualificado, conseguimos construir uma posição nova na emissora, quando, em 2005, fui promovido a Diretor Comercial da Rádio Gaúcha. Foi um dos maiores momentos na minha carreira profissional. E isso, pra mim, é motivo de muito orgulho. Eu sou a prova viva de que se pode começar de forma humilde, simples, e galgar posições dentro de uma empresa. Mas a gente tem que correr atrás e buscar nossos sonhos! Pra chegar onde eu cheguei, muito sacrifício eu tive que fazer, muitos obstáculos eu tive que vencer e com muitos desafios eu tive que me comprometer. Fazer parte da diretoria do Grupo RBS, realmente foi a conquista de um sonho, desde o primeiro dia que Ricardo Gentilini me contratou.

Durante esse período da Gaúcha, apoiado por um senhor time comercial, conseguimos posicionar a Gaúcha como uma das rádios de maior faturamento do país e realizar diversas ações inovadoras junto ao mercado gaúcho. Tudo isso, fez com que eu recebesse, em nome de todo o time da Gaúcha, o título de Publicitário do Ano pelo mercado da propaganda gaúcha. Foi um momento inesquecível e que divido sempre com os colegas dessa emissora que é um estrondoso e continuado sucesso.

Mais uma vez, novos desafios na minha vida, recebi o convite de Carlos Araújo Santos para assumir a Diretoria Comercial da RBS TV RS. Juro que tomei um susto com o convite, pois a posição era de muito destaque e grande responsabilidade. Respirei fundo e fui pra televisão, não sendo nada fácil deixar a família e o time que construímos na Rádio Gaúcha.

Liderado por Antonio Tigre, um dos grandes gestores que tive na minha carreira profissional, recebi outro novo desfaio dentro própria televisão, dar um foco e uma atenção especiais para o time de colegas das unidades da RBS TV no interior. Assim, me tornei Diretor Comercial do Interior. Após o convite, pernas amolecidas, caiu a ficha do desafio extraordinário que o Tigre e a RBS estavam me dando. Sempre disse para o Tigre, “me deste a mega sena”. Estou vivendo um dos melhores momentos na minha carreira profissional, pois estar próximo dos colegas e do mercado do interior é quase inexplicável de tão maravilhoso. Existe uma janela de possibilidades e de crescimento pelo nosso interior inesgotáveis e isso me motiva a desenvolver um trabalho voltado para esse mercado, junto com extraordinários colegas. Todas as unidades de negócios no interior do Grupo RBS estão sob a minha liderança, agora num modelo integrado de todos os meios, TV, Rádio e Jornal. Ou seja, depois de passar por cada veículo isoladamente, agora sou um multimídia completo, me envolvendo com vários temas de gestão, não só temas da área comercial. Tenho procurado ser um embaixador do interior na diretoria do Grupo RBS, inclusive criando e valorizando, todos os dias a #boraprointerioor!! Digo sempre, “somos um time, um compromisso, um objetivo”!!

Sei que é um chavão, mas é a pura verdade, “ninguém faz absolutamente nada sozinho”. Em toda minha carreira tenho convido com pessoas diferenciadas e que são exemplos. O que a gente precisa é ter as pessoas certas, no lugar certo, da forma certa, no momento certo. E é isso que faz a diferença: tu saber conduzir e motivar um time. Passar a energia, entusiasmo, postura ética, dar exemplo, ser uma referência, exercer uma liderança, dar tranqüilidade e liberdade para as pessoas colocarem seus pontos de vista e suas ideias, com abertura e transparência.

“A gente está neste mundo pra fazer alguma coisa bacana, deixar alguma história”.

Na área pessoal, há 35 anos, sou casado com a advogada Sônia Buarque Donadio. Juntos, temos duas filhas maravilhosas: Nicole e Giorgia. A Nicole é casada e nos deu um netinho lindíssimo, o Vicente. O foco agora é ele!!! É um novo ciclo em nossas vidas, é simplesmente maravilhosoooooooooooo!!!

Nas horas livres, adoro “demóóóóóóis” jogar tênis e estar entre os amigos que fiz através do esporte. Tenho três turmas do tênis, uma no União, uma na academia Dietze Tennis e outra na praia, no verão. Com os amigos da Dietze, viajamos de dois em dois anos para algum torneio internacional. Este ano estivemos no ATP de Madri. Já estivemos em Barcelona, Roma, Londres, Paris e Monte Carlos. Amamos o tenis e custimos de verdade!! Já estamos nos preparativos da próxima viagem. Ainda no esporte, sou apaixonado pelo Grêmio!!

Desde guri, gosto de música e aprendi sozinho a tocar violão e guitarra. Em casa, praticamente tenho mini estúdio para poder cantar e tocar. Um dos meus sonhos, inclusive, é compor uma banda. Sou muito eclético nos estilos musicais, gosto de jazz com George Benson, Diana Krall e Jamie Cullum; blues: Eric Clapton e B. B. King; pop: America, U2, Maná, Sade, Eagles, Santana; e rock pesado: Led Zeppelin, AC/DC, Aerosmith. Não podendo faltar Pink Floyd, que eu assisti ao vivo em Montreal em 1985. Na área nacional, adoro Jota Quest, Lulu Santos, Djavan, Marina e Rita Lee, entre outros.

Uma outra característica que tenho: sou meio autodidata. Tanto violão quanto o tênis, aprendi sozinho. Curioso, dinâmico, não consigo ficar parado. Tenho sede de aprender. O tênis e a música te dão possibilidade de ter muitos amigos, pois reúnem, agregam as pessoas.

A organização, disciplina e o gosto por cozinhar, atribuo aos ensinamentos da minha mãe. Eu ajudava muito a mãe em casa. Chegava do colégio, ajudava ela a lavar janela, lavava o chão, ajudava a fazer comida. Gosto de preparar pratos simples, comida caseira, como macarronadas, um bom arroz, um carreteiro especial, além do bom e tradicional churrasco.

Sou movido a entusiasmo. É uma característica minha e todo mundo diz: ‘”Donádio tá sempre ligado na tomada”, e é verdade, 24 horas por dia. Por sinal, tem que ter acontecido uma tragédia pra eu estar de baixo astral.

Faço questão de enfatizar que acredito na importância da humildade. Eu sempre tratei as pessoas do mesmo modo. Desde quando eu era office-boy e uma pessoa super simples, que precisava trabalhar pra ajudar a família, até hoje, quando sou diretor de uma das maiores empresas de comunicação do país.

Respeito, seriedade, comprometimento, caráter, ética e coerência do discurso com as atitudes complementam meus valores. Assim, não por acaso, desafios, metas e objetivos norteiam minha trajetória, sempre.

Falei de mais e finalizo com minha #boraprointeriooor!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here