O FIM DA CARREIRA TRADICIONAL

0
55

– O FIM DA CARREIRA TRADICIONAL

A careira tradicional – tão focada em salário, nível hierárquico e status – , o contracheque perde importância frente à  vai perdendo lugar para  outros critérios de sucesso. Nessa nova cultura em formação, o contracheque perde importância frente à autorrealização e ao sentido no que se está fazendo. Os profissionais de hoje estão interessados em causar impacto positivo na sociedade com seu trabalho.

Toda essa informação começou com a geração Y (nascidos entre 1980 e 1995), também conhecida como Millennials, que entrou m no mercado de trabalho questionando os modelos anteriores. Diferentemente da geração X (nascidos nos anos 1960 e 1970), que queria ascender rapidamente e chegar aos 30 anos ganhando muito dinheiro, os Y já não queriam mais se matar de trabalhar, preferiam ter tempo para ser felizes. Agora, com a chegada ao mundo laboral da geração Z (nascidos na era digital), as mudanças são ainda mais demandadas e velozes.

A geração Z quer ser feliz o tempo todo, quer gostar do que faz como trabalho. É uma geração que vai passar por muitas carreiras na vida.

A perenidade no trabalho não faz mais sentido. “A gente conseguia controlar os movimentos, agora não consegue mais.”

O lado bom, é realizar diferentes aptidões e desejos numa mesma vida e não precisar mais se prender a velhos modelos. “Não sabemos para que lado vão as profissões. Temos vidas produtivas mais longas e os jovens de hoje não vão mais começar e terminar a vida profissional na mesma carreira”. Mas para quem gosta de estabilidade e segurança, a situação é desafiadora: “está mais para o filme Apertem os Cintos.. O Piloto

Sumiu!”

Por isso que a melhor forma de lidar com as incertezas de hoje é se manter preparado para as mudanças. “Com o mercado como está, é bom ter à mão uma saída para a situação que se está vivendo.” Mas empreender não é a única saída. As pessoas apostam no que gostam de fazer, em atividades que sintam prazer em fazer.

O fundamental é afastar as imposições familiares e conhecer a si mesmo para descobrir do que realmente gosta. Todos têm múltiplos talentos. Ninguém tem que ter nascido para tuar.

COMPARTILHAR
Artigo anterior06 DE OUTUBRO DE 2017
Próximo artigoCado Bottega

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here