Paulo Sérgio Pinto

0
1452

UM nome, uma marca, um estilo único de trabalhar, um realizador, um destaque que não tem medo de nada, que desafia todos os obstáculos que aparecem na sua frente com galhardia, Paulo Sergio Pinto é assim, com muita verdade que intimida alguns mas, sua entrega e seu caráter de convencimento forte fazem dele um grande símbolo da comunicação gaúcha.

 

Paulo Sérgio Pinto nasceu em Cachoeira do Sul e de onde partiu aos 11 anos de idade buscando, na capital gaúcha, a realização de seus sonhos. Perdera o pai aos 2 anos de idade, que falecera aos 32 anos ficando a família restrita ao irmão mais velho e a mãe que ele descreve como uma mulher de fibra, uma verdadeira fortaleza. Viúva aos 28 anos, com dois filhos para criar, perseverou, denodadamente, na severa educação das crianças, talvez pela origem germânica, mas muito pela obstinada vontade de fazê-los homens sérios, capazes e livres de vícios. Tão determinada era neste objetivo que nunca abdicou de mantê-los em escola marista.

 

Seus ensinamentos nunca foram esquecidos e sempre alicerçados em fundamentos morais e éticos. Os filhos de Dona Helga construíram uma vida profissional de sucesso e que ela ainda teve a oportunidade de vivenciar, o Rubens Edison, como oficial do Exército e o Paulo Sérgio, hoje, um reconhecido comunicador e executivo de empresas de comunicação.

 

Graduado em engenharia eletrônica com especialização em segurança do trabalho e pós graduado em marketing, chegou ao Unibanco como executivo de marketing e mais tarde como gerente de agências, tendo sido o primeiro gerente na inauguração da unidade do Unibanco Rua da Praia, na Esquina Democrática, na Capital Gaúcha. Foi árbitro de futebol pela FGF – Federação Gaúcha de Futebol e demorou apenas alguns meses para se tornar árbitro da então CBD – Confederação Brasileira de Desportos e, mais tarde, CBF – Confederação Brasileira de Futebol.

 

Muito cedo, deixou de atuar nos gramados do futebol para galgar as arquibancadas e chegar as cabines de rádio, pois, convidado por Edegar Schmidt e Lasier Martins, então diretor de esportes da emissora, tornou-se comentarista esportivo da Rádio Guaíba, atividade sempre paralela à sua condição de gerente de banco.

 

Com a venda da Caldas Júnior, foi convidado pelos novos proprietários, Renato e Carlos Ribeiro, para continuar na empresa e também como Diretor Comercial do Correio do Povo, seguindo como comunicador da Rádio e TV Guaíba.

 

Como comunicador fez várias coberturas internacionais, inclusive Copas do Mundo, eventos esportivos, empresariais e políticos. Sua atuação no futebol levou-o a ser diretor de esportes da Rádio Guaíba e naquela época, fruto de seu envolvimento jornalístico, apresentou o primeiro programa da televisão brasileira dedicado ao meio ambiente, o Projeto Arco-íris, e também, ainda naquela emissora de televisão, criou e apresentou o programa Economia do Sul.

 

Na área comercial foi importante no projeto de mudança revolucionária e radical do Correio do Povo, quando transformado de um jornal standard em tabloide. Não esquece as dificuldades de explicar o projeto a publicitários e empresários.  Dificuldades que seriam recompensadas pelo aumento substancial na tiragem do veículo e no faturamento crescente da publicidade.

 

Foi nesta época que liderou a construção da sede definitiva do Sistema Guaíba Correio do Povo, na Expointer, e sua participação nas principais feiras empresariais do Estado com estúdios panorâmicos. Todos lembram da performance daquele grupo na Feira do Livro. Tais iniciativas ganharam reconhecimento que fez a própria concorrência trilhar caminhos semelhantes.

 

Foi assim com a realização de premiações: na Expointer com o Troféu Unibanco Correio do Povo, na Expoleite com o Troféu Banco do Brasil Correio do Povo e tantas outras.

 

Em janeiro de 1999, depois de meses de negociações, transferiu-se de mala e cuia para a Rede Pampa, um dos maiores grupos de comunicação do Brasil. O Grupo de propriedade da família Gadret estava crescendo enquanto outras redes de comunicação reduziam investimentos.

 

Os desafios foram imediatos, com a implantação do Jornal O Sul que tornou-se um ícone na imprensa do Estado e do País e, que, recentemente, migrou para a internet como portal e versão integral. Agregou, assim, novos leitores e ampliou substancialmente seus índices de leitura em relação ao impresso, mantendo a qualidade original e conquistou o gosto de milhares de pessoas.

 

O Grupo Pampa expandiu-se como rede de televisão, atingindo praticamente todo o Estado, multiplicando o número de emissoras, contando com 4 geradoras de televisão e 106 retransmissoras espalhas pelo Rio Grande do Sul.
Também, notável é na qualidade e no número de rádios, chegando, hoje, a 18 emissoras, todas líderes em seu segmento.

 

O xodó do grupo tem sido a Rádio Grenal, que é uma sensação com única emissora no Planeta a transmitir futebol ao vivo, 24 horas por dia e com índices de audiência que a fizeram reconhecida em todos os Estados e por onde existir um aficionado do futebol. Ela que foi idealizada pelo fundador da Rede Pampa, Otavio Gadret.  Também merece destaque as emissoras de qualidade que lideram audiência no litoral gaúcho. A Rede Pampa detém hoje o maior número de emissoras em FM do Rio Grande do Sul com números impressionantes de audiência. Assim ocorre com a Rádio 104; a Caiçara – que desbancou a concorrência depois da contratação de Sérgio Zambiasi, a Liberdade – líder nas emissoras de programação de música gaúcha, a Eldorado, a Continental – líder nas classes A e B acima de 25 anos e a Rádio Pampa, segunda colocada entre as jornalísticas.

 

A Rede Pampa tem se notabilizado pela efetiva presença em eventos empresariais, seja no agronegócio, na indústria e no comércio. Neste momento, por exemplo, tem seus estúdios panorâmicos na Feira do Livro. Da mesma forma, que constrói parcerias importantes e de envergadura como o Troféu Senar O Sul, com o Senar, Icatú, Mapfre e Sicredi Seguros e  o Troféu Brasil Expodireto.  Tem protagonizado seminários e congressos pelo Rio Grande afora.

 

 

 

“Orgulha-me trabalhar em uma Empresa que investe em pessoas e possibilita realizarmos e empreendermos em áreas afins, sejam elas voltadas para empresas e empresários e para a sociedade, razão de ser de nossos excelentes índices de audiência e, em consequência, com crescentes parcerias comerciais que nos proporcionam elevados índices de fidelidade”, diz Paulo Sérgio.

 

Paulo Sérgio é o apresentador do excelente Pampa Debates, um programa da TV Pampa que compõe com o Jornal da Pampa e Atualidades Pampa um conjunto de grande repercussão, que se contrapõe as novelas do horário e define uma audiência qualificada no final de tarde e início da noite.

 

Definindo-se como um trabalhador emérito e um solucionador de problemas. Paulo Sérgio Pinto assim é reconhecido, mas diz que evolui a ponto de ser um executor das novas tecnologias sem abdicar do seu próprio desenvolvimento profissional.

 

Expert em trabalhar em empresas familiares, pois há 40 anos convive e bem com as famílias Ribeiro e Gadret e por este motivo acompanha com respeito a ascensão dos filhos de Otávio Gadret: Rafael, Fernanda, Alexandre e Christina, todos companheiros de diretoria na Rede Pampa. Vê com entusiasmo a decisão de Otávio Gadret em transferir a presidência ao Alexandre Gadret, considerando-o um jovem atuante, com uma bela bagagem de conhecimento profissional e com um networking admirável.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here