Ricardo Silveira

0
166

O destaque dessa semana é um cara humilde, verdadeiro, cheio de hobbys e de muito trabalho. Não pode deixar a bola picando que ele tá lá faturando e entregando.

 

Ricardo Silva da Silveira nasceu no dia 15/07/62 em Porto Alegre. Filho de pai metalúrgico e mãe dona de casa, viveu toda sua infância e adolescência no bairro Azenha ao lado de sua irmã mais nova – Ana Rita.

 

O bairro Azenha tem significado importante na sua vida, não só pelos amigos que fez, mas o amor que nasceu pelo Grêmio, tornando-o torcedor fanático. TAQUWE

Estudou no Colégio Estadual Inácio Montanha e foi lá que fundou a torcida jovem do Grêmio em parceria com seus amigos: Ronaldo, Kiko e Silmar. Silmar era Colorado, mas participava, pois era o único que sabia tocar surdo.

Estudou Administração na Unisinos.

 

É casado há 26 anos com Ana Karina Dubin (Relações Públicas) e dessa linda união nasceu Matheus, hoje com 18 anos estudante de Jogos Digitais na Unisinos.

Apreciador de charutos, já foi a Cuba 5 vezes onde teve oportunidade de conhecer várias fábricas e o privilégio de ter fumado com Don Alejandro Robaina – um dos nomes mais importantes no mundo dos charutos.

 

Seu hobby é assar um belo churrasco para a família e amigos. Se dedica em todas as etapas: selecionar a carne, fazer o fogo, assar.

 

Carreira:

Sua carreira teve início aos 17 anos no setor financeiro da Cerâmica Cordeiro – POA, onde permaneceu por 4 anos. A primeira experiência profissional foi uma base muito importante para entender números.

 

Após esta etapa, foi convidado para trabalhar como caixa no Unibanco. Neste período teve a felicidade de cruzar com Paulo Sérgio Pinto, na época, Gerente Geral da agência Osvaldo Aranha. Ricardo lembra que Paulo Sérgio promoveu uma campanha de vendas de seguro e ele foi o funcionário que mais vendeu na agência.

 

Com este destaque, Paulo Sérgio o incentivou a se inscrever em uma seleção para Subgerente do banco. Participou e foi selecionado. Morou em SP durante 6 meses e teve uma experiência maravilhosa e radical em sua vida profissional.

 

Ainda no período como subgerente, foi convidado por um cliente para participar de um desfile de modas na Sogipa para a Loja Casa Lú. A partir deste momento conciliava a vida de modelo com o trabalho no banco. Fez campanhas para vários clientes, tais como: Lojas Renner, Hering, Santista, Unificado, entre outros.

 

Três anos se passaram e ele foi convidado para representar no RS a confecção feminina “X&C”, esta relação durou 8 anos. Também na X&C assumiu a produção da empresa, onde aprendeu muito sobre o universo feminino, tendo sob sua gestão 60 costureiras. Foi uma época de muita alegria na sua vida, pois trabalhava com pessoas extremamente criativas. Aprendeu também muito sobre postura e elegância.

Em virtude do falecimento de um dos sócios, a empresa encerrou atividades.

 

Ricardo mantém a amizade até hoje com Xico Gonçalves, um dos sócios da marca X&C.

Saindo da X&C, foi convidado para trabalhar na Ativa pelo Seu José Dubin que havia importado uma máquina Alemã (plotter de recorte). A máquina estava sem uso e ele queria gerar faturamento com a venda de adesivagem de veículos. Este braço da Ativa chamava-se – Ativa Signs. No final do primeiro ano na Ativa, Ricardo já tinha assumido a produção de todos os produtos da empresa.

 

No segundo ano, foi convidado a fazer a gestão de toda a operação da empresa (produção, instalação, retirada, manutenção). Na época, a Ativa, operava nos três estados do Sul. Com esta nova função, começou a visitar muitas agências para falar de produção, viabilidade técnica, em uma época em que as agências faziam muitos projetos especiais em OOH.

A partir daí começou a criar um excelente relacionamento com o mercado publicitário, o que ocasionou o convite para ser Diretor Comercial.

 

A área comercial foi a função que Ricardo mais se realizou em sua vida profissional. O fato mais marcante e reconhecimento do seu trabalho foi marcado pela indicação da Ativa para veículo do ano pela ARP em 2012.

 

Nova Fase:

Ricardo é movido por desafios e mesmo realizado profissionalmente, sempre teve a vontade de ser independente e tocar próprio negócio.

 

Tudo nasce com uma afinidade entre Ricardo e Daniel Costa – uma amizade e admiração mutua. Esta amizade fez com que no último ano, muitas conversas acontecessem com a possibilidade de se associar.

 

O fato de chegar em uma empresa jovem e com muitos projetos inovadores sendo desenhados, motiva o Ricardo na nova fase.

 

“Pessoas certas, no momento certo! Um lugar de harmonia e alegria”

 

“Fui muito feliz por duas décadas no grupo Ativa, uma empresa que me trouxe muitas conquistas, mas chegou a hora de me reinventar e encarar novos desafios”

COMPARTILHAR
Artigo anteriorLimites
Próximo artigoAlexandre Galliotti

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here