Cris Fragoso

0
576

O destaque dessa semana é um estudioso, um cara preparado para fazer o que faz muito bem que é planejar e desenvolver projetos criativos e com resultados para os anunciantes. Com essa qualidade e conhecimento Cris Fragoso encanta nas suas palestras, nas suas aulas e no seu cotidiano de planejador da DeBrito Sul.

Trabalhar com o que se gosta é um privilégio para poucos. E é por isso que me considero um verdadeiro privilegiado. Sempre fui o que quis ser e, talvez por isso, tenha tanto prazer em fazer o que faço.

O problema sempre foi definir exatamente isso. Confesso que tenho uma certa dificuldade em explicar quem sou profissionalmente. E o Nenê, quando pediu pra contar pra vocês a minha trajetória profissional, me deu mais uma chance de tentar. Então, vamos lá…

Eu sou o filho da Dona Cristina e do Seu Silvio. A minha mãe é uma artista. Mestra de Ballet Clássico, ela tem uma das escolas de dança mais tradicionais de Porto Alegre. Aliás, a minha família pelo lado da mãe é cheia de gente criativa. Meu avô, Pedro, era fotógrafo, jornalista, relações públicas, enfim, um cara multitask já na década de 50. Meu tio e meus primos seguiram na fotografia e hoje são grandes profissionais da área. Mas, por incrível que pareça, acho que puxei o talento do meu pai, um cara sem nenhuma formação completa, mas que tem um olhar analítico pra tudo e uma capacidade de traduzir o que ele observa de um jeito absolutamente simples. Ele é daqueles que coloca um apelido em alguém e pronto! O sujeito fica marcado pra sempre.

Eu sou Anchietano. Estudei no Colégio Anchieta no 1o e 2o graus, e acho que isso fez uma baita diferença. Os padres jesuítas são essencialmente inovadores e, não por acaso, se jogaram no oceano desconhecido lá no século XV pra ampliar seus horizontes. Acho que esse lado questionador, mente aberta e revolucionário desses caras me inspirou de certa forma. Sempre me identifiquei com isso e passei anos maravilhosos da minha infância e adolescência naquela escola. Bons tempos…

Eu sou publicitário. Formado na Famecos, acabei caindo neste curso meio que sem querer. Quando chegou a época do vestibular, não sabia bem em qual opção me matricular. Quase fui para o Direito, mas por intuição (eu confio muito na minha, aliás), fui parar na Publicidade. E me apaixonei loucamente pela coisa. Tive colegas muito bons que hoje são líderes do nosso mercado, tenho muito orgulho disso.

Eu sou redator. Mas talvez por perceber que não tinha aptidão para a Direção de Arte. Não acho meu texto lá essas coisas, e por isso sempre tive vontade de aprender com quem sabia fazer. Fiz estágio em muitas agências pequenas e médias, e um dia fui parar na Dez Propaganda. Fiquei lá por quase um ano e tive uma passagem tão discreta que, provavelmente, ninguém que estava por lá na época lembre de mim. Mas eu aprendi demais com todo mundo que, se eu fosse citar cada nome, ia faltar caracteres. Valeu demais.

Eu sou diretor de criação. E aprendi a dirigir processos criativos de forma totalmente empírica. Eu trabalhei por quase 7 anos em uma agência que não existe mais, mas foi especial para todos que passaram por ela. Uma galera do mercado trabalhou comigo na Danke, um lugar único que tinha uma pureza surreal no ambiente. Lá eu comecei como redator, e um belo dia os donos da agência me convidaram para ser o chefe dos meus colegas. Foi difícil, mas foi incrível. Tanto que me tornei sócio logo depois. E assim foi, até o fim daquele ciclo.

Eu sou planner. Mas quem teve essa ideia sensacional (pelo menos pra minha vida) não fui eu. Foi a Liana Bazanela, a minha grande parceira da vida profissional que me conheceu por intermédio de outras pessoas, e me chamou para ser Diretor de Criação da DeBrito Sul em 2012. Em uma entrevista apenas, parece que a coisa deu liga, sabe? “Vem e começa!”, disse ela bem do seu jeito marcante. O Maurício Louzada diz que “a vida não oferece promessas nem garantias, apenas possibilidades e oportunidades”. E acho que tanto eu quanto a Liana acreditamos muito nisso. Então essa oportunidade deu corpo pro negócio, os resultados começaram a aparecer e o trabalho melhorar ainda mais. Daí um belo dia ela me disse algo que, na hora, fez todo o sentido. Ela me falou que achava que eu tinha um perfil muito mais de planejamento do que criativo. E pronto, ela me convenceu de novo. A partir daí fui me qualificar para tal e, de novo, o negócio deu outra guinada. Seis anos depois da minha chegada aqui, estamos escrevendo juntos uma história que está apenas começando com toda a turma que trabalha com a gente no dia a dia, mas que já tem resultados reconhecidos por todo o mercado, algo que nos deixa cheios de orgulho e gratidão.

Eu sou designer. Fiz minha especialização na Unisinos em Design Estratégico para me aprimorar como planner. E Plim! Isso fez toda a diferença na minha vida profissional. Ao conhecer as ferramentas e o mindset do design, o meu jeito de fazer as coisas mudou pra melhor. E foi assim que criamos (a Lia e eu) o braço de projetos não-convencionais do grupo DeBrito.

Enfim, neste pouco tempo de carreira (pelas minhas contas, 18 anos), atuei em um monte de coisas que me fizeram o que eu sou. Mas tudo isso ganhou verdadeiro sentido de uns meses pra cá. Hoje eu sou o pai da Cecília, uma guriazinha fofa e cheia de vida que ensina todos os dias pra mim e minha esposa Giovana coisas novas, e me faz ser a pessoa mais feliz do mundo.

Cris Fragoso

Head de Planejamento da DeBrito Sul.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here