Roberto Pintaúde

0
45

MARKETING E/OU PROPAGANDA COMO UM TODO, OU ME AGARRA FIRME POR TRÁS

Por Roberto Pintaúde – Publicitário

Enquanto a trilha sonora insistente, tocava sem parar o elepê de 1974 do Raul Seixas, e o

Luiz Coronel fazia mais um poeminha pra ninfeta, o marketing e/ou propaganda como um todo, preocupado com o enterro da agência de propaganda, buscava métricas e mais métricas, a fim de saber qual o exato valor agregado em relação à sentença dada a Calabar.

Já na mídia digital a esbórnia principal referia-se em como obter-se o menor custo para retirar o revestimento do fio elétrico das instalações do banheiro feminino, levando-se em conta, claro, uma atitude politicamente correta.

Por sua vez, eleitores gaúchos mostraram preocupação com os resultados da recente

pesquisa com índices favoráveis a Sartori, o gringo simpático, que ninguém sabe, se gosta de polenta ou não. As pessoas querem saber também quem é o famoso Fábio Bernardi, profissional de marketing contratado pelo PSDB para fazer a campanha do Prefeito de

Pelotas ao Governo do Estado, conforme noticiou a Zero Hora no último domingo, notícia suficiente para deixar irritado o Mestre, Marino Boeira.

Minha namorada, a canção do Vinicius, parece adoçante artificial, dizia a menina com as coxas totalmente de fora, mesmo no intervalo do funk e isto, lógico, não permitia ao dirigente da instituição avalista da dívida do terceiro mundo, extremamente desconsertado, principalmente pela beleza da mocinha de 14 anos, emitir qualquer opinião a respeito da Lava-Jato.

O astrônomo perdoado pelo Vaticano, enquanto os advogados riam às bandeiras despregadas na churrascaria de quinta categoria, sequer foi referido, pois tanto o Rei como seu amigo mais íntimo, afirmavam com convicção ser isto apenas mais um jogo de cena e um golpe de marketing e/ou propaganda como um todo, por parte do Vaticano, diante dos sucessivos escândalos de pedofilia por parte dos padres desde os mais remotos tempos, tanto em Tupanciretã, como em Bunga Bunga.

Alfredo Fedrizzi, com os olhos esbugalhados com tanta recente tecnologia no atual panorama do marketing e/ou propaganda como um todo, prometeu a Dado Schneider, contratá-lo para uma palestra no Clube dos Machistas Empoderados, desde que ele, pudesse justificar o que foi que aconteceu com a geração Babyboomer. João Satt, franzia o cenho querendo reafirmar: não tenho tempo a perder, meu negócio é lucro.

Bom, quem não tiver compostura adequada, diante do novo cenário de marketing e/ou propaganda como um todo, dificilmente sobreviverá mesmo que leia diariamente em todas as plataformas da RBS, o consagrado Deivid Coorigha, e ainda que a Fiergs, o CDL, a Federasul, a LGBT e ARP – Associação Riograndense de Propaganda organizem um grandioso evento nas instalações da Expointer, com o João Firme e sua ALAP comandando, atrás de justificativas mercadológicas, pra se saber por que se abre tanta farmácia no RS, principalmente, parece, as da marca São João. Nenê Zimmermann se limitava a dar boas gargalhadas e a curtir o elepê de

1974 do Raul Seixas, enquanto contava piadas de judeu para o Paulo Boa Nova e este elogiava sem nenhuma cerimônia, o marketing e/ou propaganda do RS como um todo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here