EXTRA-14-05-2018

0
139

MÃES NÃO GANHARAM

As vendas do dia das mães foram muito aquém das previsões dos CDL’s, FCDL’s e pesquisas. Uma por grana, outra pelo Gre-Nal (sábado), outra pelo calor e outra por que?????

SHOPPINGS ENFRENTAM OS REFLEXOS DA CRISE.

VAREJO: Empreendimentos devem precisar de quatro anos para ocupar 12 mil lojas vazias.

Apesar de a economia brasileira ter voltado ao azul, a crise deixou marcas profundas no setor de shoppings. Há hoje cerca de 1 milhão de metros quadrados vagos nos 522 shoppings espalhados pelo País. São 12,5 mil lojas desocupadas. Se nenhum novo empreendimento fosse construído ou ampliado, seriam necessários pelo menos quatro anos para que todo o espaço vazio fosse ocupado.

Isso é o que revela um estudo do Ibope Inteligência sobre a vacância do setor. No último ano, houve uma melhora na ocupação, sobretudo nos shoppings consolidados, construídos antes de 2012. Nesse grupo, 8,5% das lojas estavam vagas em 2017. Neste ano, essa marca caiu para 7,9%. Nos shoppings novos, abertos a partir de 2013, a vacância em número de lojas, que atingiu o   pico de 46% em 2017, recuou para 41% este ano.

Mas a situação ainda é bem crítica nos shoppings novos, afirma Marcia Sola, diretora executiva de Shopping, Varejo e Mercado Imobiliário do Ibope. “Nos shoppings novos, a torneira está aberta em cima do ralo, entra contrato novo de locação, mas eles perdem varejistas”.

Foi exatamente esse movimento que se viu nos últimos três anos no comércio em geral. De 2015 a 2017, entre abertura e encerramento, o saldo de lojas foi negativo em 226 mil, aponta a Confederação Nacional do Comércio (CNC). Para este ano, o economista chefe da CNC, Fabio Bentes, projeta um saldo de 20,7 mil lojas. Com o ritmo lento de recuperação, ele confirma a projeção do Ibope. “ Não será possível repor antes de 2022, todos os pontos de venda fechados por causa da crise”.

Além da retração da atividade, a imprudência dos investidores em novos projetos, que superestimaram o mercado, foi outro fator que contribuiu para grande ociosidade nos shoppings hoje, observa Marcia. Nos inaugurados em 2017 e localizados no Sudeste, por exemplo, a situação é mais crítica e quase metade (49%) das lojas está vaga, uma marca muito acima da média nacional (41%).

De fato, houve um boom de shoppings. Entre 2012 e 2016, foram abertos 128 empreendimentos, lembra o presidente da Associação Brasileira de Shoppings Centers (Abrasce), Glauco Humai. “ Com a crise ocorreu uma tempestade perfeita que fez com que os shoppings novos tivessem maior dificuldade de amadurecimento. Mas isso não aconteceu com todos”.

A Abrasce não monitora a vacância dos shoppings novos separadamente dos consolidados. Nas contas da entidade, a taxa média de vacância do setor como todos gira em torno de 5,7% em número de lojas. “ A taxa tem flutuado mês a mês e é administrável “, afirma Humai. Ele diz que não conhece a metodologia e a base de dados dos indicadores apurados pelo Ibope e, por isso, não pode comparar os resultados.

FEEVALE

Neste mês, a professora da Universidade Feevale, Caroline Colpo, integrará a diretoria da Associação Brasileira de Pesquisadores de Comunicação Organizacional e Relações Públicas (Abrapcorp). Até 2020, Caroline assume a Diretoria de Relações Públicas da entidade. A Abrapcorp tem o objetivo de criar proximidade entre os pesquisadores da área, além de abrir e manter as portas abertas para que haja trocas de estudos no sentido de ampliar conhecimentos, aumentar produções e potencializar parcerias.

“É uma satisfação ser convidada para fazer parte da diretoria da Abrapcorp, uma associação reconhecida no Brasil pelo trabalho que desenvolve com a pesquisa em Relações Públicas e Comunicação Organizacional. Há muitos pesquisadores da área que produzem pesquisas e que pouco discutem com os pares, por isto o desafio dessa diretoria é que os pesquisadores, acadêmicos e profissionais coloquem seus estudos para discussão e engrandeçam, cada vez mais, a área no Brasil e internacionalmente”, disse a professora.

 

DEBRITO SUL AMPLIA ATUAÇÃO NO SISTEMA UNICRED E CONQUISTA CENTRAL MULTIRREGIONAL.

Há mais de 2 anos como parceiro estratégico de comunicação da Unicred do Brasil e Unicred Central SC/PR, a DB_SUL amplia sua atuação dentro do sistema cooperativo financeiro e incorpora à sua carteira de clientes a gestão total da conta da Unicred Central Multirregional.

“Nossa vivência no universo cooperativo, aliada ao conhecimento do contexto do mercado do cliente, foi crucial na seleção por parte da Unicred Multirregional. O objetivo deste projeto é potencializar ainda mais os resultados da marca que vem tendo um alto índice de crescimento nos últimos anos. Estamos muito felizes com a escolha e empolgados com o desafio de atuar de forma integrada nas plataformas online e offline.”, afirma Liana Bazanela, diretora executiva da DB_SUL.

A Unicred Central Multirregional tem sede em Belo Horizonte e reúne um total de 12 cooperativas presentes nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Espírito Santo e Bahia.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here