EMPREENDEDORISMO NA PERIFERIA E NAS COMUNIDADES

0
87

Uma fórmula para manter um pequeno negócio, motivado pela necessidade, em comunidades de baixa renda marcadas pelo desemprego e pela violência. É o que propõe a Besouro Agência de Fomento Social, criada em Porto Alegre, que desenvolveu uma metodologia própria e promove cursos de capacitação gratuitos em favelas, vilas e periferias do Brasil.

A metodologia não surgiu por acaso. Seu idealizador, o jovem empreendedor Vinicius Mendes Lima, cresceu na periferia de Porto Alegre, lutou contra muitas dificuldades, conseguiu completar seus estudos e fez mestrado na Argentina. Após pesquisa em comunidades carentes em Buenos Aires e no Rio de Janeiro, criou o método By Necessityque consiste em estudos a fim de ajudar jovens de baixa renda a desenvolver um plano de negócios. A metodologia também prevê um período de três meses de incubação, onde os alunos continuam sendo assistidos. “Entre morros e vielas, em um ambiente hostil, onde não há sequer saneamento básico, existem pessoas que conseguem se reinventar, empreender e sustentar sua família”, garante Vinícius.

Vendendo crepe

 

Vinicius Lima desconhecia o conceito de empreendedorismo quando começou a vender crepe aos 14 anos de idade. Explica que viu em um negócio próprio uma fonte de renda que só dependia dele. Empreendeu em eventos para formaturas e foi crescendo. Teve vários negócios. Há quatro anos teve nova iniciativa empreendedora: a Besouro Agência de Fomento Social. O objetivo foi ajudar amigos da infância e adolescência que ainda estão na periferia. A Besouro busca parcerias públicas e privadas para ampliar ações de responsabilidade social.

“Quando comecei a estudar o poder econômico e de desenvolvimento que existe dentro das comunidades, conheci muitos empreendedores que deram certo, que ganham dinheiro – mais do que muita empresa do chamado ‘asfalto’. E eles entendem muito de gestão, marketing, pessoas e finanças. Só que de forma empírica, e não teórica”, afirma Vinícius.

Os sonhos

 

A Besouro tem como meta um negócio por aluno. Ela existe para realizar o sonho das pessoas. Tanto que na primeira aula a pergunta a cada aluno é: qual é o seu sonho? “No meu caso, o meu maior desafio é ser compreendido, assim como para qualquer empreendedor, é que acreditem nele. Encontrar pessoas, entidades ou órgãos dispostos a perceber que os atuais programas de incentivo e capacitação ao empreendedorismo não obtêm êxito em comunidades de baixa renda por um erro estrutural deles e não pela falta de interesse dos moradores. O erro é nosso e não deles! Não há como ensinar empreendedorismo e planilhas de vendas numa linguagem com ferramentas não acessíveis, não pertencentes ao seu mundo”, garante Vinicius Lima.

Vinicius Mendes Lima é autor do livro A Riqueza das Favelas: o empreendedorismo entre morros e vielas

(crédito)Fotos: Besouro Agência de Fomento Social/Divulgação

A Besouro

 

  • A Besouro é uma agência de fomento social originada da necessidade de capacitar os empreendedores emergentes das favelas e comunidades periféricas. Trata-se de uma organização privada de interesse público, pautada pelos valores sociais de inclusão e bem-estar. O capital entregue é o intelectual. A Besouro aposta nas parcerias público-privadas como caminho para o atendimento das exigências sociais.

 

  • No vácuo entre as ações e investimentos sociais promovidos pelas empresas do terceiro setor e projetos de responsabilidade social desenvolvidos pelas do segundo, é que surge a Besouro. Ela busca os direitos sociais básicos, como a educação, a saúde, o desenvolvimento protagonista pessoal e do entorno, o interesse e o empoderamento cidadão,  apostando na formação como o caminho para gerar oportunidades.

 

Aprendendo a montar o próprio negócio

Os cursos desenvolvidos com base no método envolvem 30 horas de aulas presenciais, divididas em 10 módulos temáticos e cinco encontros e, ao final, o aluno sai com um plano de negócios e estruturação que lhe permitem iniciar o empreendimento no dia seguinte.  Quem financia os cursos são instituições da iniciativa privada ou pública. Como, por exemplo, o Conselho Regional de Administração do RS, a Secretaria Nacional de Juventude, a Universidade Federal de Buenos Aires.

Depois, ocorrem o acompanhamento presencial e a orientação técnica via plataforma online e call center – ao longo de 90 dias, uma equipe entra em contato com os novos empreendedores para sanar dúvidas e saber como está andando o pequeno negócio. “Ela (a metodologia) é acessível e leva em conta as limitações que frequentemente são impostas àqueles que empreendem por necessidade, como a falta de tempo, ausência de investimento inicial e de conhecimentos teóricos sobre marketing e administração, assim como a necessidade de retorno financeiro imediato”, explica Vinícius.

O sucesso e a eficiência de sua metodologia chamaram atenção de fundações e até do poder público. Programas sociais do governo federal e de prefeituras, voltados a jovens empreendedores de baixa renda, usam a By Necessity em cursos de capacitação promovidos em mais de 80 cidades em todo o País, com maior índice de Vulnerabilidade Juvenil (IVJ)

Turma de alunos da Besouro em sala de aula em Porto Alegre

 

Na vida das pessoas

 

  • O método By Necessity está sendo aplicado hoje em 80 cidades brasileiras com maior Índice de Vulnerabilidade Juvenil (IVJ) em parceria com o governo federal.
  • A eficiência pode ser comprovada no impacto produzido nas vidas das pessoas em comunidades carentes, já que é um fomento social aplicado pela Besouro em favelas e vilas.
  • O método não se restringe apenas à capacitação proporcionada durante os encontros, mas fomenta o participante na sequência, durante 90 dias, auxiliando-o para que não desista e tirando dúvidas. O acompanhamento abrange todas as áreas do negócio: comunicação, finanças, vendas e fluxo de caixa.

Marca e plano de ação

 

  • Os novos empreendedores saem dos encontros com a marca do negócio pronta, planejamento financeiro, plano de divulgação, análise de vendas e metas, além do marketing – todos os componentes de um plano de ação e de um canvas (ferramenta de gestão em formato de quadro dividido em blocos que permite visualizar todos os elementos fundamentais de um negócio em uma página).
  • O perfil dos participantes depende do tipo de parceria envolvida nos cursos, que são oferecidos como parte de diferentes projetos desenvolvidos pelos parceiros, mas usando a mesma metodologia exclusiva para comunidades carentes registrada pela Besouro. Nos projetos que têm como parceiro o governo federal, o público prioritário são jovens negros de até 29 anos residentes em comunidades carentes.
  • Os cursos têm turmas em diversas cidades do Brasil.

 

Os voos dos Besouros

 

Ex-moradora de rua monta brechó

 

Uma jovem resolve abrir o próprio negócio, junto com uma amiga. Nada diferente do que vemos diariamente, nessa geração empreendedora. A diferença aqui é que falamos da Bruna Silva. Até os seis anos, ela morou com a mãe na rua e em abrigos de Porto Alegre. Estabilizaram-se no bairro Mario Quintana. Hoje, a Bruna sustenta a casa com o Brechó La Vie Rose.

 

Bruna iniciou as aulas com a Besouro na segunda semana de abril deste ano. Em cinco dias saiu com a nova marca do negócio – feita por designers do projeto -, um planejamento financeiro, de vendas e marketing e noções gerencias e administrativas que ela jamais imaginava que existiam – e que eram fundamentais.

“Meu sonho estava parado. Já na aula de pesquisas, descobri que meu público-alvo era outro, simplesmente por instrução de ir para uma lista de transmissão falar com possíveis clientes por WhatsApp. Até a numeração das peças que comprava eu alterei. Resultado, vendi mais”, exemplificou.

Empreendedora Bruna Silva (D) montou brechó com uma amiga

 

O Cara das Camisetas Legais

 

No curso, ministrado pela Agência Besouro, Bryan Moraes, o Cara das Camisetas Legais, reconheceu problemas ligados à área das finanças na aula de fluxo de caixa e aprendeu sobre os custos e os cálculos, coisa que ainda estava apanhando para administrar. O Bryan diz que “depender dos outros é difícil”, mas depois que começou a controlar mais o dinheiro que saía e entrava no caixa, tudo voltou a acontecer.  “É claro que ter uma máquina própria, para fazer as estampas, resolveria um problemão. Mas, enquanto não acontece, eu e meu sócio vamos nos virando”, diz Bryan.

 

Foi o Cara das Camisetas quem deu a ideia de também vender com personalidades do futebol, como o Neymar. E ter um público segmentado, segundo ele, garante que o cliente sabe onde encontrar o que quer. “Falou camisetas diferentonas, falou NV Street Wear,” diz o novo empreendedor. O Bryan percebeu que estava dando certo quando ele viu que cantores como Thiaguinho e Rodriguinho estavam sabendo da marca também.

Bryan Moraes, ao lado de Vinicius Lima, empreendeu no ramo de camisetas

A BESOURO EM NÚMEROS

 

  • 280  alunos em capacitação
  • 076  pequenos empreendedores já capacitados
  • 765  projetos criados em aula
  • 625  negócios incubados
  • 100%  dos negócios incubados na metodologia By Necessity, exclusiva da Besouro, estão gerando renda
  • 70%  é o aumento de renda média
  • 7  dias é o prazo para que o aluno projete o negócio com geração de renda
  • 100%  de aumento de renda após 30 dias
  • 500  negócios assistidos
  • R$ 1 milhão  de renda gerada
  • Fonte: Besouro Agência de Fomento Social 

 

Turma de novos empreendedores formada em Porto Alegre recebem diplomas entregues por Vinicius Lima

 

Gaúcho empreendedor na Juventude do G20

 

A Reunião da Cúpula de Ministros de Juventude do G20, na Europa, tem gaúcho entre representantes do Brasil. Vinicius Mendes Lima, da Besouro Agência de Fomento Social, com sede em Porto Alegre, mostrou resultados da metodologia criada por ele para empreendedores de comunidades das periferias. O encontro foi realizado nos dias 23 e 24 de maio, em Madri, na Espanha, e dias 25 e 26 de maio, em Lisboa, Portugal. Lima foi convidado pela Secretaria Nacional de Juventude (SNJ).

 

O método inovador é aplicado no Programa Inova Jovem, do governo federal, e Lima apresentou os resultados dessa proposta que está em mais de 80 cidades brasileiras. A metodologia já é referência nacional e na Argentina. Também é desenvolvida em vários outros projetos de fomento social em prefeituras, empresas, ONGs e instituições.

 

O objetivo da Reunião da Cúpula foi promover o intercâmbio de boas práticas em políticas públicas de juventude, no âmbito dos países do G20. Também  definiu mecanismos de coordenação e itinerários de cooperação voltados para o desenvolvimento de jovens, levando em conta o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e da Agenda 2030.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here