Caco Keller-27-07-18

0
295

DESTAQUE

O destaque dessa semana é um dos caras mais pacientes que conheci, um craque nos esportes, uma figura querida e educada e, acima de tudo, um apaixonado pelo que faz e um homem na exceção da palavra pela sua fidelidade e honra nos seus compromissos de vida. Eu o chamo de Caquinho,mas ele é Caco Keller

Quando recebi o convite do Nenê e ele dizendo que seria uma honra, eu fiquei me achando a última bolacha do pacote. Mas na realidade, a honra é toda minha em poder contar um pouco da minha história e eu não poderia negar um pedido dele.

A minha paixão pela publicidade começou na época do colégio Anchieta quando o mestre Cláudio Moreno, numa aula de literatura, deu alguns exemplos de propaganda que me fascinaram. Ali defini que eu iria tirar a faculdade de Publicidade/Propaganda.

Em janeiro de 1971, com 17 anos e ainda no colégio, perdi meu pai e tive que ser emancipado pela minha mãe para poder fazer o Artigo 99 (a maioria dos leitores não imagina o que era isto! Se quiserem saber perguntem para qualquer pessoa com mais de 60 anos, o Nenê, por exemplo!!!)

Fiz o exame, passei e pude fazer o vestibular um ano antes dos meus colegas. Paralelo ao estudo, eu dava aula de tênis para poder ajudar nas despesas. Entrei na FAMECOS no turno da manhã e à noite para cursar o maior número de cadeiras no semestre. Ao meio dia pegava o ônibus para NH dar as aulas de tênis e voltava final da tarde indo direto para a faculdade e assim fiz durante 1 ano, quando consegui um estágio na Martins & Andrade em 1972 trabalhando na mídia. Aqui vale uma observação. Dando aula de tênis eu ganhava 10 vezes mais que o salário de estagiário, mas a paixão pelo negócio falou mais alto. Trabalhar com o que você gosta é muito mais importante do que quanto você ganha!

Sempre tive uma veia empreendedora e em 1974 resolvi sair e montar o meu negócio com mais 4 amigos e criamos a Bulla Propaganda numa sala na rua Voluntários da Pátria no edifício Salvador Leão. A partir desta experiência, o mundo deu muitas voltas e passei por várias sociedades como nas agências CASA RARA, NOVA FORMA, MÓDULO. E que se for explicar não teria espaço na coluna.

Depois de muitas idas e vindas, em fevereiro de 2000, me vi obrigado a passar por uma grande cirurgia para tirar a suspeita de câncer no estômago e retirei a metade dele. Esta suspeita pode ter sido ocasionada por estresse e por isso fui aconselhado a diminuir o ritmo de trabalho. Fechei minha empresa e fui bater na porta do meu querido e estimado amigo Rogério Caldana que durante mais de 10 anos queria me levar para a RBS. Pois naquele momento, a empresa estava procurando um executivo para assumir a emissora de Santa Rosa e prontamente aceitei. Lembro como se fosse ontem do dia 28 de julho de 2000 quando Rubinho Barrichello ganhou a primeira corrida pela Ferrari, pois eu estava me deslocando para Santa Rosa de carro e ouvindo o Roberto Brauner na Gaúcha que naquela época transmitia a fórmula 1. Parei no aeroporto e comprei um mapa rodoviário para saber como chegar. Minha esposa ao lado tentava decifrar as distâncias e nem imaginávamos que levaríamos 8 horas até Santa Rosa! Mas nem tudo foi sofrimento, pois lá passei os dois anos mais gratificantes da minha vida profissional e onde realizamos um trabalho de equipe que levou a emissora de último lugar para terceiro em 17 emissoras da rede. Este desempenho me proporcionou uma mudança para a Criciúma também para gerenciar a emissora que passava por problemas. Em 2016 sai da empresa e resolvi permanecer na cidade onde montei minha empresa – CACO KELLER COMUNICAÇÃO. No final de 2012, resolvemos voltar para Porto Alegre e fui trabalhar na Martins & Andrade onde tudo começou. Pouco conhecia do Airton, mas foram quase 4 anos de convívio diário onde aprendi a admirar a pessoa e o profissional que tem uma trajetória invejável e agradeço a ele por ter me aceito de volta à cidade.

Como sou um inquieto por natureza, e não sou da geração Y, resolvi empreender novamente em 2016, apesar de ser jovem há mais tempo, então com 62 e voltei com a minha empresa, mas não quis caminhar sozinho desta estrada e resolvi juntar minha experiência com a juventude e convidei duas jovens competentíssimas em suas áreas. Hoje aprendo com elas e acho que elas também aprendem um pouco comigo. A única exigência que fiz para trabalharem comigo é nunca me chamarem de TIO! hahahaha. Elas não sabem, mas a Francine (29) e a Gabriela (25) me enchem de energia diariamente e todas as manhãs eu preparo café para elas, pois chego às 7h e elas às 8h!

Em setembro iremos completar 2 anos de Agência K3, nosso nome fantasia, e estamos muito felizes pois somos movidos pela paixão pelo que fazemos.

Para fechar, passo minha ficha técnica.

Nome: Carlos Horácio Keller (Caco Keller)

Data de nascimento, no meu caso, data de fundação: 1953

Estado civil: casado há 40 anos com a mesma mulher! Isto é competência!

Time do coração: Sou Gremista, Gaúcho e Brasileiro nesta ordem

Orgulho: as duas filhas

Desejo: trabalhar até os 100 anos

Conselho: SE FOR TRABALHAR EM COMUNICAÇÃO, SÓ COM PAIXÃO!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here