Marília Rizzon-22-03-19

0
29

Iventadeiras & inventadores, inventemos!

Por Marília Rizzon, a Lila! – autora, inventadeira, astróloga, jornalista e escritora

“É possível resistir à invasão de um exército, mas não à invasão de ideias”. Victor Hugo

Inventadeira. Palavra que tão bem traduz a minha essência e que meu tio Sul Brasil Pinto Rodrigues, professor doutor em Sociologia,  me diz que é das nossas raízes culturais. “A inventadeira desequilibra um contexto. Faz uma tentativa de mudança do status quo em muitos sentidos”, explica.

Dito isso, ele pede que eu amplie esse texto. O que faço aqui.

Pra mim, a inventadeira tem paixão por criar conexões inusitadas, fazer diferente e testar novas ideias. Curiosa que é, tem um caso apaixonado e intenso com o experimental. A propósito, esse é o seu cerne!  Pra inventadeira, tão imprescindível quanto o ar é experimentar o novo! Por isso, que ela desafia o status quo, rompe com moldes e descarta padrões e modelos sem receios.

Um exemplo de inventadeira na ficção é Clara Luz, a protagonista de ‘A Fada que Tinha Ideias’, de Fernanda Lopes de Almeida. Essa fada é uma revolucionária!! Nada conformada em seguir as regras descritas no Livro de Mágicas, ela não aceita o que lhe dizem, que sempre foi assim e ela precisa seguir as ideias e mágicas “emboloradas”, como ela diz,  do livro.

Clara Luz tem ideias mirabolantes, bem autorais, e quer fazer diferente! Quer inventar suas próprias mágicas!  Quer experimentar.  E assim ela faz:  cria bolinhos de luz e chuva colorida, e inventa brincadeiras como escorregar no arco-íris e a modelagem de nuvens!

Não por caso, mas absoluta sincronicidade, dei vida à Clara Luz nos tempos idos de teatro na escola.  E me identifiquei por demais com esse personagem e sua teoria para o mundo. Uma que resgato hoje e adoto como norte para mim. Que teoria é essa?

“Quando alguém inventa alguma coisa, o mundo anda.
Quando ninguém inventa nada, o mundo fica parado. “

E não é que ela tem razão? O que seria do mundo sem os inconformados com a realdiade? Sem os inquietos inventores e cientistas pesquisadores? Ou os sonhadores de novas realidades?  Pense em Steve Jobs, Albert Einstein,  Johannes Guttenberg, Martin Luther King, Katherine Johnson, Dorothy Vaughn,  Mary Jackson   e tantos outros e outras ‘inventadeira(o)s’ que fizeram o mundo avançar!

Por isso, se assim como eu, você tem esse espírito ‘inventador’, não desanime diante das críticas e repreensões na próxima vez que você tiver uma ideia nada convencional e diferentona!  Lembre dessas pessoas. Assista o filme “Estrelas Além do Tempo”.  Leia Chris Guillebeau e Marília Rizzon. Fale com a Lila! 😉  Inspire-se!  E como eles, comprometa-se com a sua ideia, dedique tempo, energia e amor a ela. Assuma responsabilidade e invista nela, no que você acredita!

Ou seja, empreenda.

Faça isso por você e pelo mundo,  que hoje precisa cada vez mais de pessoas que não se conformam com o razoável nada razoável, com o conforto desconfortável,  com o respeito desrespeitoso, com a justiça que é injusta. Sim, isso acontece! Na Alemanha nazista,  por exemplo, o extermínio nos campos de concentração (pasmem!) estava totalmente dentro da lei.

Faça com consciência, respeito e amorosidade, portanto.  Com humanidade. Assim, você  estará inventando para o bem de todo mundo. Pra fazer do planeta um lugar melhor pra todos.

Sonhadora, eu? Nada disso!  Inventadeira convicta, fazendo a minha parte.

E você? Diz pra mim.

www.lilarizzon.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here