O PODER-18-04-19

0
15

O PODER

Um provérbio comum proferido pelas pessoas ao se referirem ao uso do poder nas organizações é “Manda quem pode, obedece quem tem juízo”. O leitor já deve tê-lo escutado diversas vezes.

Cabe aqui uma distinção importante entre o poder pessoal e o poder de posição. O poder pessoal é uma energia interna, legítima e permanente que nos torna capazes de influenciar outras pessoas. Potencialmente todos nós temos condições de exercê-lo de modo legítimo, pois já nascemos com essa habilidade. Basta pensarmos em um bebê ou em uma criança pequena e a forma como esta influencia e gera grandes transformações à sua volta, antes mesmo de aprender a falar.

Por outro lado, ao usar o poder de posição, o indivíduo se apoia na hierarquia ou em fatores externos – os chamados símbolos de poder – para conquistar seguidores ou chegar a seus objetivos. São diversos os símbolos de poder em nossa sociedade: o cargo ocupado pela pessoa na organização, o modelo de carro que ela dirige, possuir ou não celular corporativo, o tipo de cartão de crédito que utiliza, o bairro ou cidade em que mora, sua classe social, a faculdade em que estudou. Os símbolos de poder são infindáveis e nunca deixarão de existir. O problema é o uso que se faz deles.
Comum acontecer: Sabe com quem você está falando?  Este é um exemplo clássico do uso do símbolo de poder. Implicitamente, a mensagem é: Não importa se você tem um protocolo a seguir. A mim ele não se aplica, pois sou especial e importante.

Se por um lado o comportamento típico de quem exerce o poder de posição é o uso de símbolos, o comportamento de quem exerce o poder pessoal é a assertividade. Ser assertivo significa ter uma clareza de propósito e expressá-lo de forma positiva, confiante e persistente. A pessoa assertiva leva em conta o próprio direito e o direito dos outros quando persegue um objetivo. Ela é honesta, direta, confiável, vai direto ao ponto, é uma boa ouvinte, é respeitosa, busca cooperação e sabe negociar.

Exercer influência significa lançar mão do poder pessoal para gerar transformação, independentemente da posição que você ocupa na organização. Para ter sucesso, é imprescindível ter clareza de propósito e permitir-se ter o direito de expressar suas necessidades, opiniões, dúvidas, de forma direta, honesta e respeitosa. Por outro lado, deve-se estar aberto a negociar e mudar de opinião ao longo do processo.

O exercício do poder deve estar a serviço do bem comum.  Conforme escreveu um autor desconhecido: O chefe inspira medo. O líder inspira entusiasmo. O chefe diz “eu”. O líder diz “nós”.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here