POR QUE MENTIMOS-05-07-19

0
35

POR QUE MENTIMOS

A pessoa mente compulsivamente. Existem alguns casos mais simples, que não configuram um transtorno, mas não deixa de ser um problema. São casos daquelas mentirinhas diárias que criamos. Por exemplo, uma mulher que compra um sapato por 100 reais e diz que comprou por 30 reais; as pessoas que dizem que não fizeram algo, mas, na verdade, fizeram sim; o marido que saiu de casa com os amigos e alega que não; o jovem que disse à família que dormiria na casa de um amigo, mas foi para a balada.

A mentira tem seu objetivo, tem uma intenção e, muito provavelmente, tem uma história de aprendizado, e ainda pode ter as causas que levaram a pessoa a optar pela mentira na vida

A mentira é um relato que não corresponde ao real vivido, mas sim a uma estratégia verbal para enganar a outra pessoa ou a nós mesmos. Aliás, na maioria das vezes, a nós mesmos! O mais enganado é a própria pessoa que mente. Muitos o fazem para não lidar com a responsabilidade, para escapar das correções, das punições, do julgamento de alguém ou mesmo para alcançar um melhor conceito sobre si diante dos outros. Muitas vezes, utilizamos a mentira para esconder um comportamento que temos, que não é aceito, que não é esperado.

Muitos aprenderam a mentir no decorrer da vida, foram exercitando o ato de mentir. Em outras situações, às vezes, a pessoa sente-se insatisfeita com a própria vida e, por isso, cria uma vida paralela, ou seja, cria uma vida que gostaria de viver ou mesmo uma pessoa que gostaria de ser. Existe aquele que apresenta autoestima baixa, que precisa provar para os outros algo que ele ainda não conseguiu ter ou ser. A mentira pode ser a ponta do iceberg, pode esconder uma história, um autoconceito negativo ou um conceito negativo sobre as outras pessoas.

A pessoa que mente fica presa a sua mentira, uma vez que não poderá jamais esquecer o que relatou, pois terá que a sustentar. Que situação!

O cérebro humano parece que não foi criado para a mentira. Para mentir, é preciso primeiro que o mentiroso saiba da verdade; depois, que crie uma história falsa. Portanto, o cérebro vai levar mais tempo para fazer esse processo. Primeiro, a verdade é memorizada e posteriormente a mentira é criada. O problema é manter arquivada uma memória de um fato que não aconteceu. Por isso, o esforço para manter a mentira é muito grande, pois a verdade tem o registro do fato ocorrido e será mais fácil lembrarmos dela.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here