NOTAS DA SEMANA-03-04-20

BOM EXEMPLO

Liderada por Eliana Azeredo, a equipe da Capacita Eventos se junta ao Governo do RS, apoiando a mobilização na procura por respiradores no Estado.

Esforço de uma equipe de profissionais e de uma empresa comprometida com os gaúchos que está fazendo este trabalho que em muito vai ajudar a salvar vidas.

“E de repente minha equipe sentiu-se útil, podendo ajudar, pesquisando os hospitais com respiradores com problemas. É o Governo do RS fazendo acontecer” Eliana

EFEITO ELEIÇÃO

Apesar da incerteza em relação à realização da eleição de outubro, o calendário eleitoral segue inalterado e quem pretende ser candidato e ocupa cargo de gestão no Executivo deve se desincompatibilizar nesta sexta-feira (3). Do primeiro escalão da prefeitura de Porto Alegre, dois titulares e um adjunto deixam o cargo: Ramiro Rosário (PSDB), de Serviços Urbanos, Rafão Oliveira (PTB), da Segurança Pública e Nelcir Tessaro (DEM), secretário adjunto de Infraestrutura. Os três são candidatos a vereador em Porto Alegre.

ORESTES DEIXA A COMUNICAÇÃO DA PREFEITURA

Quem também deixa o governo nos próximos dias, mas sem ligação com o calendário eleitoral, é o secretário de Comunicação Social, Orestes de Andrade Júnior. Desde janeiro, Orestes vinha alinhavando a saída com o prefeito Nelson Marchezan. A intenção era fazer mestrado para, no futuro, ser professor. A crise do coronavírus adiou a exoneração, mas na ultima quarta-feira(01/04) o secretário bateu o martelo com o prefeito.

CONSUMIDORES

Uma pesquisa realizada pela Kantar em 30 países, junto a 25 mil consumidores, revela uma série de dados positivos sobre as marcas e sua publicidade. O trabalho foi realizado na esteira de muitos cancelamentos de campanhas feitos pelas marcas, alguns com toda a lógica, diante da virtual impossibilidade de prosseguir operando, outros mais motivados pela perplexidade do que por razões racionais.
Talvez a principal constatação foi a de que apenas 8% dos consumidores acredita que as marcas devem parar de anunciar devido a pandemia do coronavírus, inclusive porque acreditam que a publicidade tem “obrigações” como a de suportar a mídia neste período difícil.
Entre outras posições, a pesquisa relata que 78% dos consumidores acredita que as marcas devem ajudá-los em suas vidas diárias e a mesma quantidade espera que elas cuidem de seus colaboradores nesse período; 75% dizem que as marcas devem informar as pessoas sobre o que estão fazendo na crise; e 74% acha que as empresas não devem “explorar” a situação.
Além disso, mais de 50% também acredita que as marcas devem anunciar como sempre fizeram, enquanto 50% pensa que as empresas devem falar sobre sua própria marca de maneira mais leve que o habitual. Surpreendentemente apenas 30% gostaria de ver suas marcas oferecendo descontos e promoções.
A pesquisa é bem ampla e mensurou diversas atitudes. E como uma de suas autoras, Jane Ostler, destaca: “se as marcas ficam fora do ar por mais de seis meses, isso pode destruir sua saúde agora e depois.”
Ela também recomenda aos anunciantes que “mantenham a calma. Tudo isso vai passar e estaremos em uma situação em que as coisas começam a se recuperar. Tenha, portanto, essa visão de longo prazo junto com a de curto prazo”.
Entre as marcas que estão fazendo a coisa certa, os consumidores lembraram da Ford, que trocou sua publicidade regular por mensagens informando que vai postergar o pagamento das prestações de seus carros; a Louis Vuitton, que está fabricando álcool gel; a Guiness, que cancelou sua tradicional parada de St., Patrick, que faz há 260 anos; e a Nike, que além de garantir a venda de seus produtos por e-commerce, assegurou que manterá seus quadros de pessoal das lojas fechadas e liberou o acesso a seu app que ajuda a fazer exercícios.

GRUPO RBS

Movido pela proximidade e pelo espirito de coletividade, o Grupo RBS, em uma nova fase da mobilização #juntoscontraovírus, valoriza profissionais e empresas que, com inovação e criatividade, estão driblando a crise e pensando em novas formas de entregar seus produtos e serviços. Nesta nova etapa, a campanha busca reforçar a conexão entre saúde e economia, ambas essenciais para a sociedade no combate à pandemia, estimulando que o público permaneça em casa como forma de prevenção ao coronavírus e encorajando e dando luz a novas possibilidades de negócios nesse cenário.

Editorialmente, os veículos do Grupo RBS já estão valorizando movimentos de empreendedorismo que, em meio à crise, criam alternativas para seguir com suas atividades e também promovem atos de apoio e união a quem precisa. O objetivo é multiplicar e prestigiar ações que seguem fazendo a economia girar.

– Nossa visão é de saúde E economia. É preciso enfrentar ambos os problemas juntos e de forma coordenada. Estamos fazendo a nossa parte como indivíduos e como empresa de comunicação, exercendo o nosso propósito. Temos provocado o debate, estimulando que se encontrem alternativas para minimizar o impacto negativo na economia e permitindo que o dano social seja atenuado – destaca o CEO do Grupo RBS, Claudio Toigo Filho.

Nesta quarta-feira (1), um primeiro anúncio foi veiculado nos jornais Zero Hora, Pioneiro e Diário Gaúcho, que também traz um agradecimento aos profissionais que precisam estar trabalhando, fortalecendo o senso de coletividade para o momento. O VT (ilustrado por imagens captadas durante as reportagens de cobertura da pandemia) desta fase da mobilização será lançado, em primeira mão, no RBS Notícias, da RBS TV, nesta noite. A campanha também estará nas rádios, no digital, nas redes sociais e no site comercial do Grupo RBS.

AMPRO

A AMPRO – Associação de Marketing Promocional abre diversas frentes de interlocução com o Governo após a paralização dos mercados provocada pelo coronavírus. Depois de pleitos assinados em conjunto com o ForEventos – Fórum das Entidades do Setor de Eventos e com a Apresenta Rio, da área de entretenimento, a Associação acaba de assinar uma carta em conjunto com outras sete entidades representativas da Comunicação, por medidas para a preservação do setor.

O documento, encaminhado no último dia 30 de março ao Governo Federal, trata sobre a importância da “preservação do setor da comunicação não apenas enquanto setor, mas também sob a ótica de seu papel para manutenção da confiança dos mercados, expansão dos setores e recuperação de toda economia e conjunto do PIB”.

Entre as medidas propostas pela carta, está a solicitação de disponibilização de linhas de crédito de longo prazo para capital de giro das empresas, desoneração de folha de pagamento de março a agosto, isenção temporária do recolhimento de impostos aplicáveis ao mercado de propaganda, possibilidade de férias coletivas de 60 dias para empregados que optarem, possibilidade de redução de jornada de trabalho para empresas com queda superior a 25% da receita e outras.

“Estamos totalmente engajados às ações que possam minimizar o enorme impacto da crise no mercado de Live Marketing. É hora de juntar forças e atuar lado a lado com o universo da Comunicação”, diz o presidente da AMPRO, Alexis Pagliarini.

O documento que seguiu aos cuidados do presidente Jair Bolsonaro tem assinatura da Associação Brasileira de Agências de Publicidade – ABAP, Federação Nacional das Agências de Propaganda – FENAPRO, Associação Brasileira dos Agentes Digitais – ABRADI, Associação dos Profissionais de Propaganda – APP, Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais – APRO, Associação Brasileira das Produtoras de Fonogramas Publicitários – APROSOM, Associação de Marketing Promocional – AMPRO e da Associação Brasileira de Propaganda – ABP.

COCA-COLA

Coca-Cola Company suspendeu toda a sua publicidade em meio à crise do novo coronavírus (Covid-19). A empresa realizou o anúncio por meio de comunicado no Facebook nesta segunda-feira, 30. A decisão atinge todas as marcas da empresa no País.

Segundo a peça, a empresa focará, agora, em mensagens de prevenção e na saúde de funcionários e parceiros. O anunciante afirma que doará, junto a seus parceiros e à The Coca-Cola Foundation, US$ 120 milhões no combate à doença. No Brasil, a conta publicitária da Coca-Cola é atendida pela WMcCann.

UNIRITTER

A Aula Inaugural do Curso de Publicidade e Propaganda da UniRitter vai acontecer na próxima quarta-feira, 08/04 às 19:30, O evento será transmitido para os alunos do curso via Collaborate, no Blackboard (o link convite será enviado para até a data do evento). Cado Bottega (@cado975) é publicitário formado em bacharel pela PUC-RS, e pós-graduado em Comunicação e Marketing pela ESPM-RS. Com 35 anos de mercado, já trabalhou como Diretor de Criação em agências como Competence, Matriz, Martins e Andrade, Escala, e21, CDN. Empreendeu duas agências de propaganda: Artefacto e Upper até o ano de 2001. Professor de graduação, pós-graduação e intensivos da ESPM-RS, foi Diretor da Escola de Criação da ESPM e atualmente é professor convidado do SENAC-RS na pós-graduação. Atualmente faz parte da direção do Clube de Criação do RS e, recentemente assumiu a vice-presidência da ARP – Associação Riograndense de Propaganda do RS. Ganhou os principais prêmios da publicidade regional, nacional e conquistou o único Leão de Ouro em Cannes para o RS em 2001. Em 2016 foi finalista na categoria Diretor de Criação no Salão da ARP.

MARCAS

Durante a crise do novo coronavírus (Covid-19), a população espera diferentes posicionamentos das marcas, aponta um estudo da Kantar. Quando perguntados o que os anunciantes deveriam fazer durante a epidemia, 25% responderam que anunciantes devem servir de exemplo e guiar a mudança.

Outros 21% afirmaram que a marca precisa ser prática e realista e ajudar os consumidores no dia a dia; 20% pedem que ataquem a crise e demonstrem que ela pode ser derrotada; 18%, que usem seu conteúdo para explicar e informar; 11% que reduzam a ansiedade e entendam as necessidades dos consumidores; e, por último, que sejam otimistas e pensem de formas não convencionais (3%).

A pesquisa foi realizada online com 500 brasileiros com 18 anos ou mais entre os dias 13 e 16 de março de 2020. A Kantar também questionou que tipo de publicidade deve continuar sendo feita pelas marcas brasileiras: mais de 80% dos entrevistados concordam completamente que elas devem comunicar, principalmente, seus esforços para enfrentar a situação e sobre como podem ser úteis nesse novo dia a dia, assim como evitar explorar a situação do coronavírus para promover suas marcas.

 

Outra informação apontada pela pesquisa é o que os consumidores esperam das empresas como organizações. Na opinião dos brasileiros, o fundamental, neste momento, é se preocupar com a saúde de seus colaboradores, higienizando os locais de trabalho (67%) e possibilitando os horários flexíveis (18%).

FRENTE A FRENTE – ONLINE SINAPRO RS
Tema: Questões tributárias em tempos de epidemia: o que fazer?

Com: Dr. Cassiano Menke, advogado tributarista, doutor e mestre em direito tributário.

Quando: 03/abr/2020 às 14:30.

Abertura: Fernando Silveira, presidente do SINAPRO-RS.

Apoio: Karen Kopper, executiva do SINAPRO-RS.
Importante: perguntas devem ser realizadas pelo chat da plataforma durante o evento e serão conduzidas pelos organizadores. Por gentileza, mantenha seu microfone e seu vídeo fechados para não sobrecarregar a transmissão.

FESTIVAL DE CANNES

O diretor-geral do Festival Internacional de Criatividade de Cannes, Simon Cook, divulgou uma carta, ontem, 30, intitulada de ‘Creativity moves us forward’ – em tradução livre, ‘Criatividade nos leva adiante’. No documento, é descrita a abertura de um espaço no site do evento dedicada ao compartilhamento de cases e histórias criativas que surgiram durante a pandemia ocasionada pela disseminação do novo coronavírus, a Covid-19. “Seja você uma marca que está desenvolvendo higienizadores para as mãos, uma plataforma oferecendo conteúdo sobre saúde mental ou uma companhia ‘construindo avião em pleno voo’ para se adaptar às mudanças do mundo, a comunidade criativa quer ouvir seus insights e realizações”, consta no texto.

O diretor-geral destaca que o festival compartilhará painéis memoráveis apresentados no evento, além de relembrar trabalhos que ganharam Leões. Tal ação tem o objetivo de inspirar o mercado durante um período em que, segundo ele, embora muitas coisas não possam ser realizadas, não se pode esquecer o que a criatividade pode fazer. Cook cita também que durante as últimas semanas a organização do evento conversou com diversos profissionais do segmento, que compartilharam exemplos de invenção, colaboração e compaixão.

EXAME

Desde que adquiriu a Exame por cerca de R$ 72 milhões em um leilão da Abril em dezembro de 2019, o BTG Pactual vem dando sinais das novidades a serem implementadas na publicação. Nesta quinta-feira (26), além de apresentar sua nova identidade visual, Pedro Thompson, CEO da Exame e Rafael Davini, VP comercial da plataforma de notícias, deram detalhes sobre a nova linha editorial, produtos e planos de mídia.

“A Exame hoje não é mais uma empresa editorial. É uma empresa de conteúdo, mas principalmente de tecnologia. O nosso maior contingente em termos de pessoas, depois do editorial, é o time de tecnologia. Temos um time de engenharia de dados, de ciência de dados e o core business da Exame é ser uma empresa de tecnologia e isso não só no sentido de produto, mas do perfil das pessoas, de cultura organizacional, agilidade etc.”, explica Thompson.

Davini também aponta as diferenças. “É algo disruptivo, para quem estava acostumado a ver uma revista e um site extensivo, é uma guinada. Estamos fazendo a transformação de uma marca que existe há 52 anos e teve a sorte de ser adquirida por uma companhia que quer transformar”, aponta.

A assunção do BTG, garante Thompson, não deve interferir na linha editorial da nova Exame. “Não terá nenhuma relação do BTG com a linha editorial ou o conteúdo. O investimento do banco é dos sócios, e tem como base dois objetivos: econômico, é uma empresa com fins lucrativos e o segundo é uma questão de impacto social”, diz.

Novos produtos

De acordo com Thompson, a nova Exame está dividida em quatro unidades de negócio: a editorial, que contempla a parte de jornalismo e outras três, chamadas de Exame Academy, Exame Research e Exame Experience.

“A principal delas continua a ser o bom jornalismo, obviamente que estamos mudando muita coisa no sentido de experiência, com um site mais responsivo e principalmente um conteúdo que transmita sabedoria prática e não conteúdo demasiadamente filosófico ou intelectualizado, mas conteúdo prático de coisas que estão acontecendo em nossa rotina. Vamos falar muito de empreendedorismo, tecnologia, gestão, de negócios, carreira, lifestyle e macroeconomia. Esse é o core da companhia”, aponta Thompson.

Ainda segundo o executivo, eles devem “rechear” a parte de mídia com alguns produtos: ExameIn (conteúdo 100% editorial), Exame Talks (série de talkshows audiovisuais) e podcasts.

Já a Exame Academy vai prover cursos que tenham algum impacto na sociedade seguindo a proposição de linha editorial. A Exame Research funcionará como uma assessoria e terá recomendação de investimentos com uma série de especialistas. Por fim, a Exame Experience, que é a vertical de eventos. Eles seguirão com o prêmio Melhores e Maiores, fóruns de negócios e macroeconomia, e entrega de eventos aos clientes dentro da nova estratégia comercial.

Comercial

Segundo Davini, o mercado pode esperar algo disruptivo “do ponto de vista de uma marca que tinha canais extensivos e que passa a ser uma plataforma de notícias, educação, relatórios e pesquisa, com muitos dados, eventos como maiores e melhores e outros que virão sob demanda.”

O desafio comercial, segundo o executivo, é mostrar para o mercado essa mudança. “Temos condições de atender as mais variadas demandas e necessidades de cada um de conectar suas marcas com uma audiência que quer e necessita de informação de economia e negócios, um público altamente exigente e ávido por esse tipo de informação”, aponta.

Os pacotes comerciais, defende, serão “altamente customizados, cada vez mais voltados à construção de conteúdo, que é o que somos especialistas, mas, mais do que isso, pretendemos construir a narrativa para as marcas conversarem com esse público que conhecemos tão bem”.

Além disso, também devem investir mais em projetos de branded content. “A revista ultimamente tem executado esse branded mais do que qualquer coisa. Se vê muito pouco páginas simples de revista. Construção de conteúdo para as marcas com esse público que a gente já conhecia e vai conhecer cada vez mais, com o digital, que é ‘mobile first’, ‘always on’, com matérias e de várias editorias, que podem passar de 40 matérias diárias no portal, no app – que até meados de abril, começo de maio deve estar no ar -, um app completamente modificado. O site que passou por uma modificação completa, não só a revista”, aponta Davini.

Formatos

Além da nova identidade visual, a Exame também mudou sua versão impressa, que permanece com distribuição quinzenal. Agora, a revista tem lombada quadrada e capa dura.

“Achamos que mais do que simplesmente uma unidade de negócio, é uma questão aspiracional, está na rotina de dezenas de milhares de pessoas receber sua Exame quinzenal em casa e vamos continuar com isso. O nosso objetivo é melhorar ainda mais o produto”, defende Thompson.

Para isso, mantiveram a equipe que já estava na Abril e promoveram mudanças na liderança. “Hoje o editor-chefe é o Lucas Amorim, que é cria da Exame e tem 13 anos de casa. É um sujeito com viés empreendedor de tecnologia, de furo. É o nome correto para tocar esse projeto”, declara.

Segundo Davini, a versão impressa terá menos matérias, muito gráfico, diagramação mais clean, moderna e mais dinâmica “para não brigar com o editorial”.

Já site e app passam a ser o foco do negócio. “Aparecem com navegação bastante simples e intuitiva, responsiva, com bastante inteligência, você acessa e os cards levam aos temas que você acessa com mais frequência. É absolutamente disruptivo em relação ao que existia, e onde temos bastante ambição de crescer, sem impactar nos leitores das revistas”, conclui.

 

(MANIFESTAÇÕES DO MERCADO)

Guilherme Baumhardt

Atualizações:

Sigo na CTI do Hospital Moinhos de Vento, recebendo oxigênio, mas sem a necessidade de ser entubado, algo que quase ocorreu ontem, mas um dos exames mostrou que ainda não era preciso.

Permaneço deitado a maior parte do tempo. Assim, praticamente não sinto falta de ar, o que muda radicalmente se preciso fazer qualquer movimento. Aí a sensação não é das melhores. O ar some.

Ontem saiu o resultado do exame e estou, sim, com Coronavírus.

Não há prazo para alta. Estou sendo muito bem atendido e tratado.

Saudade gigantesca de uma porção de gente, em especial da minha filhota. Minha esposa tem sido uma gigante na tarefa de cuidá-la. Nenhuma surpresa para mim.

Obrigado pela torcida, mensagens, orações. Estão ajudando demais.

Um grande beijo

Marília Rizzon

DE DENTRO PRA FORA, UM MUNDO MELHOR!

Nesse mundo que cocriamos juntos, com a soma dos nossos pensamentos, sentimentos, escolhas, atitudes e intenções, é hora de ampliar o amor, a consciência, a responsabilidade, assim como o poder da imaginação e da criatividade pra fazer diferente! E assim cocriar um mundo melhor pra cada um e todos nós.

Que as histórias e todo conteúdo compartilhado aqui lhe inspirem se relacionar com a vida de dentro pra fora. A partir do coração! Da parte que nos conecta a esse mistério lindo e sagrado que é a vida, e faz mais leve, livre, generosa e alegre a nossa jornada aqui.

Nelson Matzenbacher Ferrão

Reflexões na Quarentena III
Há um ditado tibetano – creditado ao Dalai Lama XIV – que diz, mais ou menos assim: “A tragédia deve ser utilizada como fonte de força. Não importa que tipo de dificuldades, como é dolorosa a experiência, se perdermos a esperança, esse é o nosso verdadeiro desastre.” Pois a esperança deve ser nossa grande aliada pra atravessarmos este ciclo. Afora o que a ciência nos oferece de ajuda, bem como o que as preces nos reforçam a fé, o sentimento da esperança pode ser uma força poderosa. Quando a gente a mantém como uma luz dentro de nossos corações, a esperança pode fazer as coisas acontecerem quase como mágica. Porque a esperança é imune ao desespero, ao ódio, ao confronto, à divisão, ao mal em todas suas formas. A esperança é bálsamo! A esperança é cura! A esperança é amor!

Fábio Bernardi

Estamos felizes, e estamos trabalhando a mil mesmo em quarentena. Terceiro job (Sicredi, aniver prefeitura e esse) que fazemos proativamente. Não é hora de só ficar chorando o cenário, é hora de fazer a coisa girar, mesmo em casa.

https://vimeo.com/402908893?fbclid=IwAR3BFbE8cVQVg4rFncYQtlxnmy5wgz4_PhN6EXn2SA3uhWQoPQ0-yTjk658

Silvio Sibemberg

Gestão Publica

O gestor público não tem nem faz a menor ideia de como as coisas funcionam no mundo real. Trabalham sempre com viés político em busca de apoios ou votos. O negocio deles é se manter nos cargos ou estar de olho na próxima eleição. Não arriscam por puro medo de perder a boquinha. Muito mais fácil dizer não é o norte deles. Esquecem como ali chegaram e quem os colocou lá. Ficam surdos aos apelos dos seus próprios eleitores ou contribuintes pagadores dos seus salários. Em caso de duvidas o não é a regra.

Pessoal da área de saúde publica se achando os reis da cocada preta. Dando entrevistas, gravando áudios e emitindo pareceres a mais não poder. Adorando estar na mídia, esta mesma que nos nossos dias mais gera pânico e desinforma do que informa.
Os veículos não estão interessados em noticias positivas, não dão audiência e não vendem jornais. Por isso não se vê opiniões otimistas sobre o momento. Os telejornais evitam entrevistar quem ousa se opor a essa linha editorial. Pelo contrário, não fazem outra coisa senão achincalhar os que a contestam. Se acham os donos da verdade absoluta.

O gestor público se acha no céu com esse apoio fantástico. Cria coragem e fecha o comercio e afins sem fazer a mínima ideia das consequências de seus atos. Tem certo de que se o vírus infectar mais pessoas nunca será consequência de suas determinações. Se houver dificuldade de recuperação da atividade econômica a culpa será da pandemia. De uma forma ou outra não serão os culpados de nada.

Duro dizer, mas existe outra razão para esse enfoque, o deles não está em jogo. Estão recebendo salários integrais e seus empregos estão garantidos. Não conseguem bem avaliar o que a interrupção da atividade econômica esta causando no bolso de quem vive disso nem quantos acabarão desempregados. Preocupam-se com a saúde das pessoas e esquecem que sem recursos ninguém pode ser saudável por muito tempo. Se não for o COVID19 outro vírus ou bactéria oportunista vai acometer esse pessoal e suas famílias mal alimentadas e sem condições de acesso a medicamentos.

Que não está fácil fazer escolhas e tomar decisões sabemos todos, mas parece que está mais fácil para quem tem o seu soldo assegurado e emprego garantido.

Mocita Fagundes

Diário de uma quarentena numa pequena empresa audiovisual com contas a pagar todos os meses.
A maioria aqui sabe que eu tenho a Mythago Produções. E “dentro” dela tenho a Marcia Belloc, a Gisele Yarochewsky, a Bruna Martins,
Nani Barreto, a Bibiana M. Kasper, o Raoni Ceccim, o Acauã, o Dorve e a Clenir Terezinha.

Somados a mim, somos 10 (Gosto de pensar nesse número com todos os positivismos que ele me induz).

Fora os “free do coração”. O Diogo Santoro,o Yuri Veiga, o Renan Medina, o Vicente Bobadra, entre outros queridos.

E tenho um compromisso com todos eles. Um compromisso de vida. Afinal, todos nós temos contas a pagar. E eu garanti a todos… que ninguém soltaria a mão de ninguém. Que passaríamos juntos pela crise.

(Volta e meia eu ouço… “-Ah! Por que tu insiste em ter “funcionários” fixos? Ninguém mais tem uma estrutura pronta…” – agora – tá aí a resposta. )

Tá sendo sofrido pra mim esse afastamento. Porque eu adoro bater boca com a Márcia sobre produção e orçamentos (e ela sempre tem razão…kkkkkk), gosto de tontear as gurias do atendimento e as ilhas de edição … são (literalmente) a minha segunda casa.
Nunca tive “uma sala” na Mythago. Tenho uns “mochinhos de aproximação” e vou assim… me encostando em cada mesa. (risos)

Mas esse momento inesperado me faz enxergar muita coisa. Que funciona e que não funciona.

Tenho um problema. Eu não consigo desapegar de um job. Gosto de acompanhar até a cópia. Quem trabalha comigo sabe. Eu me mato de trabalhar e eu entrego.
Aprendi que PRECISO reaprender.

Aprendi também que preciso valorizar mais e mais e mais – a minha equipe. Sempre. Baita time. Não me deixam na mão. Me sinto respeitada por todos. São de fé. Ninguém é uma ilha MESMO.

Estamos com uma pauta absurda e esse “negócio de home office” pra nós da Mythago… virou 18h dia de trabalho. Sem final de semana. A diferença é o figurino. O pijama veio com tudo (risos).

Mas tudo isso pra dizer que… A MYTHAGO SÓ VAI VOLTAR A OPERAR NORMALMENTE QUANDO A QUARENTENA PASSAR.

Vou proteger minha equipe como uma leoa. Por amizade, carinho, admiração e responsabilidade. Estamos separados e mais juntos do que nunca. É possível que ainda não possamos abrir câmera em abril. Sim… é possível. E eu vou estar preparada. Para atender os nossos clientes com criatividade sem set.
Como estamos fazendo até agora.
Um abraço e um beijo carinhoso em cada um dos meus Mythago’s Heroes.

Tô feliz. Batemos o recorde da união. A conexão é tudo nessa vida.

Obrigada EscalaCity+ – Lojas Pompéia – STIHL.
Obrigada Morya Comunicação – Sicredi – Prefeitura de Porto Alegre.
Obrigada MOOVE e Corsan.
Obrigada Matriz e Lojas Lebes.
Obrigada Centro e Banrisul.
Obrigada Marcelo Pires e RBS TV.
Obrigada meninos Balboa Marcelo Peresin e Ricardo Soletti e PUCRS.
Obrigada Juan Pablo Boeira e Bourbon Shopping.
Obrigada Cristiano Fragoso + Liana Bazanela
ARP – Associação Riograndense de Propaganda.

Minha gratidão de verdade para quem – num momento de crise – acreditou no nosso trabalho. Na nossa mini grande equipe.
#fiqueemcasa

LEIA TAMBÉM

Em DESTAQUE: Valorizar Negócios Locais Para Enfrentar a Crise.

Em ESPECIAL: Impacto Do Covid-19 na Economia Preocupa e

Orestes De Andrade Jr – Secretário de Comunicação da Prefeitura de Porto Alegre. Os VÍDEOS da nova campanha da Uimed.

Tem OPINIÃO, a divertida CHARGE do talentoso Cado Bottega e ARTIGOS de grandes personalidades: Juan Pablo BoeiraCMO – Chief Marketing / Head of Performance & Consumer Marketing (AIRAZ – Grupo Zaffari), Beatriz Moraes e Karine Morais, sócias-diretoras da Storia Eventos e Projetos, Cassio Sclovsky Grinberg – Sócio-Diretor na Grinberg Cosulting, Por Kátya Desessards – Jornalista e Menthoring em Inteligência Colaborativa e Comunicação, Luiza Helena Trajano – Presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza, Silvio Sibemberg – Empresário especialista em varejo, Orestes de Andrade Jr, Arthur Bender, CEO da Key Jump e da Selling e do nosso articulista Zé Maurício.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *