CARTA ABERTA DE JEFF BEZOS QUE TODO LÍDER INTELIGENTE DEVE LER – 08.05.2020

As grandes empresas também estão sofrendo com a crise que assola o mundo devido ao surto do novo coronavírus. Em sua conta do Instagram, o presidente da Amazon, Jeff Bezos, publicou um comunicado especial a todos os seus funcionários.

Em uma carta aberta, o empreendedor escreveu palavras de motivação e agradecimento para manter seus colaboradores mais tranquilos em meio às turbulências da pandemia.

O portal Inc. chamou atenção para a estrutura da mensagem: dividida em cinco partes, que devem ser de conhecimento e até servir de exemplo e inspiração para todo grande líder. Confira:

 

Parte 1: Expondo a realidade

Já no primeiro parágrafo, de um total de nove, Bezos indica: “Este não é o normal, são tempos de estresse e incertezas. É também um período em que o trabalho que estamos fazendo é mais crítico”.

Neste trecho, ao mesmo tempo em que demonstra empatia pelo trabalho que todos vêm realizando na empresa, o líder não deixa de lado a urgência do assunto e a gravidade do momento em que estão vivendo em meio à crise do coronavírus.

 

Parte 2: Expondo as expectativas dos clientes e expressando gratidão pelo trabalho dos funcionários

Os verdadeiros heróis em meio às turbulências do mercado são os entregadores e o pessoal da logística. Durante os dois parágrafos seguintes, Bezos mostra aos colaboradores quão gratas as pessoas estão com seus serviços: “Nós estamos fornecendo um serviço vital para pessoas em todos os locais, especialmente para aqueles, como os idosos, que são mais vulneráveis. As pessoas dependem de nós”.

“Recebi centenas de e-mails de clientes e vi posts nas redes sociais agradecendo a todos vocês. Seus esforços estão sendo notados nos mais altos escalões do governo, incluindo o presidente Trump”, reitera.

 

Parte 3: Expondo suas próprias expectativas

Logo em seguida, o empreendedor exibe seu ponto de vista quanto ao cenário econômico da crise: “Fico triste em dizer que imagino que as coisas irão piorar antes de melhorarem”.

Apesar disso, Bezos mostra que os esforços da empresa não estão concentrados apenas em manter os funcionários trabalhando, mas também em recrutar novos colaboradores: “Estamos contratando para 100 mil novas vagas e aumentando os salários dos funcionários que coletam os pedidos e os entregam aos clientes durante esse período de estresse e turbulência”, afirma na carta.

Isso se dá pelo fato de que muitos americanos estão procurando emprego após serem demitidos. De acordo com o líder, a Amazon espera que aqueles que foram dispensados trabalhem na empresa até que consigam voltar aos empregos que tinham antes.

 

Parte 4: Indicando um problema grave (e óbvio) que a Amazon vem enfrentando

O home office e o isolamento social já são uma realidade. Ainda assim, muitas funções continuam tendo que ser realizadas presencialmente. E Bezos reconhece isso. Garantindo a saúde dos funcionários, o empreendedor afirma na carta que as instalações físicas da Amazon estão com política de limpeza intensificada para que o distanciamento social seja colocado em prática.

 

Além disso, ele diz que a empresa “fez pedidos de compras de milhares de máscaras para dar aos funcionários e prestadores de serviço que não podem trabalhar de casa.” A questão é que estes itens estão em falta.

“É fácil entender por que os incríveis prestadores de serviços médicos que atendem às nossas comunidades precisam ser os primeiros da fila. Quando chegar a nossa vez de receber as máscaras, nossa primeira prioridade será entregá-las aos funcionários e parceiros, que estão trabalhando para levar produtos essenciais às pessoas”, explica.

 

Parte 5: Expondo qual é o foco no momento

A finalização da carta fica por conta do foco no coronavírus. Bezos afirma que está “totalmente focado na Covid-19 e na melhor forma da Amazon desempenhar seu papel”. Ainda diz que suas preocupações no momento sejam as mesmas de seus funcionários: “desde meus próprios filhos, pais, família, amigos, até a segurança de vocês, meus colegas, daqueles que já estão muito doentes, e do verdadeiro dano que será causado pelas consequências econômicas em nossas comunidades.”

Confira carta aberta na íntegra:

“Queridos Amazonianos,

Isso não é normal, e é um momento de grande estresse e incerteza, e também um momento no qual o trabalho que estamos fazendo é mais crítico.

Alteramos nossa logística, transporte, cadeia de suprimentos, de compras e vendedores terceirizados para priorizar o estoque e a entrega de itens essenciais, como utensílios domésticos, desinfetantes, leite em pó e suprimentos médicos.

Não sou o único a agradecer o trabalho que vocês estão fazendo. Recebi centenas de e-mails de clientes e vi postagens nas redes sociais agradecendo a todos. Seus esforços estão sendo notados nos mais altos escalões do governo, e o presidente Trump nesta semana agradeceu profundamente a essa equipe.

Em todo o mundo, as pessoas estão sentindo os efeitos econômicos dessa crise, e também estou triste em dizer que prevejo que as coisas vão piorar antes de melhorarem. Estamos contratando para 100 mil novas vagas e aumentando os salários de nossos funcionários que coletam pedidos e os entregam aos clientes durante esse período de estresse e turbulência. Ao mesmo tempo, outras empresas, como restaurantes e bares, estão sendo forçados a fechar as portas. Esperamos que as pessoas que foram demitidas venham trabalhar conosco até que possam voltar aos empregos que tinham.

Grande parte do trabalho essencial que realizamos não pode ser realizado de casa. Implementamos uma série de medidas preventivas de saúde para funcionários e prestadores de serviços em nossas instalações em todo o mundo – desde o aumento da frequência e intensidade da limpeza até o ajuste de nossas práticas nos centros de atendimento para garantir as diretrizes recomendadas de distanciamento social. Estamos nos reunindo todos os dias, trabalhando para identificar maneiras adicionais de melhorar essas medidas.

Fizemos pedidos de compra de milhares de máscaras faciais para dar a nossos funcionários e contratados que não podem trabalhar de casa, mas poucos desses pedidos foram atendidos. As máscaras permanecem escassas em todo o mundo e, neste momento, estão sendo direcionadas pelos governos para as instalações de maior necessidade, como hospitais e clínicas. É fácil entender por que os incríveis prestadores de serviços médicos que atendem às nossas comunidades precisam ser os primeiros da fila. Quando chegar a nossa vez de receber as máscaras, nossa primeira prioridade será entregá-las aos funcionários e parceiros, que estão trabalhando para levar produtos essenciais às pessoas.

Agora, o meu tempo está totalmente focado na Covid-19 e na melhor forma da Amazon desempenhar seu papel. Quero que vocês saibam que a Amazon continuará fazendo sua parte e não deixaremos de procurar novas oportunidades para ajudar.

Não há manual de instruções sobre como se sentir em um momento como esse, e eu sei que isso causa estresse para todos. Minha lista de preocupações agora – como a de vocês, tenho certeza – é longa: desde meus próprios filhos, pais, família, amigos, até a segurança de vocês, meus colegas, daqueles que já estão muito doentes e até aos verdadeiro danos que serão causados ​​pelas consequências econômicas em nossas comunidades.

Por favor, cuidem de si mesmos e de seus entes queridos. Eu sei que vamos superar isso juntos.

Jeff.”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *