NOTAS DA SEMANA-08-05-20

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

A pandemia de Coronavírus e seus impactos sobre a saúde, os indivíduos e a economia são a temática da nova campanha que a Agência Moove desenvolveu para a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. A campanha ressalta o trabalho da Casa legislativa, durante a crise sanitária, mostrando inovação no atendimento de demandas da população, por meio da aprovação de projetos emergenciais do Poder Executivo para combate à Covid-19, através de sessões plenárias virtuais inéditas. O Legislativo ainda debate alternativas de retomada da economia com representantes de diversos setores produtivos, e repassou R$ 30 milhões do orçamento para ações na área de saúde do Estado.

A campanha pretende motivar as pessoas e mostrar que a ALRS está junto da população e fazendo a sua parte para superar o mais rápido possível a crise, lembrando outros momentos da história, em que a humanidade enfrentou tensões, guerras, catástrofes e pandemias, e conseguiu vencê-las.

Por tudo isso, o Rio Grande do Sul e o mundo têm razões para acreditar que, com o Coronavírus, não será diferente. Contudo, lembra a campanha, cada um precisa fazer a sua parte para evitar a disseminação do vírus.

“É importante lembrar que nós, como sociedade, superamos as adversidades ao longo da história. Lamentando as perdas pelo caminho, mas reunindo forças para a retomada do nosso destino. A peça é muito feliz ao traduzir com fidelidade o pensamento da gestão do deputado Ernani Polo na presidência da Assembleia Legislativa: acreditar que, com todos focando um mesmo objetivo, podemos ir muito além”, afirmou André Machado, superintendente de Comunicação da ALRS.

A campanha conta com veiculação em TV, anúncio em jornais e mídia digital.

Ficha Técnica

Cliente: Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul
Direção de Criação: Laura de Azevedo
Redação: Cláudia Mainardi e Laura de Azevedo
Direção de Arte: Gabriel Martinez
Atendimento: Bárbara Pufal e Jamile Melo
Diretora de Atendimento: Luana Rodrigues
Produção/RTVC: Carla Bildhauer
Arte-Final: Christian Vieira
Mídia: Dulce Weiss
Planejamento: Eugênio Lumertz
Aprovação Cliente: André Machado e Alexandre Farina
Produtora do Filme: Manga Rosa
Direção: Guilherme Carravetta
Produtora de Áudio: Batuque
Fornecedor Gráfico: Carla Bildhauer e Robson Albuquerque
Manipulação de Imagem: Estúdio Mythos – José Waxemberg

EXPOINTER 2020

A Expointer 2020 está mantida, com data limite de realização até o fim de setembro.

O novo calendário será definido pelas Secretarias da Agricultura e Saúde, em conjunto com as entidades co-promotoras da tradicional feira, que neste ano celebra os 50 anos do Parque Estadual de Exposições Assis Brasil, em Esteio.

CARLÃO ASSINA COM A RECORD TV RS

Carlos Toillier, o Carlão,  é o novo Diretor Comercial da Record TV. Carlão assinou contrato na segunda-feira, (4/05) junto a Carlos Alves, presidente da emissora no RGS. Ele assumirá o lugar de Carlos Manzoli, que deixou a empresa.

Contratação de alto nível e respeito. Que o sucesso venha junto com esse novo desafio para Carlos Toiller na Record TV.

FELIPE VIEIRA

O jornalista gaúcho, Felipe Vieira é o mais novo contratado da BandNews TV. Conhecido na televisão e rádio do Rio Grande do Sul, ele comandará noticiários e terá participação em outros programas jornalísticos da emissora localizada em São Paulo.

Formado pela PUC-RS, Felipe trabalha em veículos desde os 13 anos. Iniciou a carreira na Rádio Sobral, em sua cidade natal Butiá. Desde 1989, atuava em Porto Alegre, onde passou pela RBS, Band, Record e SBT. Ao longo da carreira recebeu várias homenagens de diferentes órgãos e entidades, foi considerado sete vezes, o melhor Apresentador de TV do Rio Grande do Sul e duas vezes recebeu o Prêmio Press, de melhor jornalista gaúcho.

UNIÃO NO COMBATE AO CORONAVÍRUS

Grupo RBS, Renner e Lebes estão juntas para incentivar o uso correto de máscaras para evitar a contaminação pelo coronavírus. O objetivo das três grandes marcas é mobilizar os gaúchos a aderirem às máscaras, a partir da crença de que cada um de nós tem um papel fundamental no combate à pandemia e para acelerar o encerramento da crise. A iniciativa leva em conta as orientações dos órgãos oficiais, prevê ações de comunicação em todos os veículos da RBS e distribuição de máscaras em comunidades carentes do Estado.

O projeto foi pensado de forma conjunta pelos CEOs da RBS, Claudio Toigo Filho, da Renner, Fabio Faccio, e da Lebes, Otelmo Drebes. Além de aproximar as empresas das comunidades onde atuam e contribuir de forma efetiva no combate à disseminação do coronavírus, a ação busca apoiar uma parte da cadeia produtiva do Estado que está sofrendo diretamente com a crise econômica: as pequenas e médias empresas do setor têxtil.

– Acredito que a melhor forma para enfrentar essa pandemia, proteger a saúde dos gaúchos e conseguir retomar nossas rotinas da forma mais segura possível é através da educação e da solidariedade. É preciso unir forças, habilidades e expertises para levar informação a todos os cantos e conscientizar as pessoas de que cada um precisa fazer a sua parte. Todos nós: empresas, governos e comunidades. Por esta razão, a Lebes abraçou o Projeto Solidariedade com o Grupo RBS e a Renner. É preciso comprometimento de todos, um importante pilar desse grande projeto. Esperamos assim mobilizar os gaúchos e transformar o uso correto das máscaras em um hábito diário. Queremos também inspirar outras empresas para que se juntem a nós nesta grande causa – comenta Otelmo Drebes, presidente da Lojas Lebes.

No momento em que o Rio Grande do Sul vive a possibilidade de flexibilizar o isolamento social com o novo modelo em implementação no Estado, o papel de cada cidadão passa a ser ainda mais decisivo para evitar o contágio e superar a crise econômica. Por isso a escolha por comunidades carentes para a entrega de 200 mil máscaras. São locais onde falta informação e, também, recursos para a prevenção.

– Estar próxima das comunidades onde atua sempre foi um valor da RBS e de nossos acionistas. Temos apoiado com doação de mídia, a partir da cobertura editorial e em campanhas publicitárias inúmeras ações positivas de combate à doença e à crise, mas queríamos fazer algo proprietário, com nosso envolvimento direto. Cada gaúcho terá um papel fundamental a partir de agora, para que possamos evoluir. Por isso, decidimos, junto com parceiros que têm uma visão semelhante, dedicar esforços a conscientizar todos sobre a importância da prevenção – destacou o CEO da RBS, Claudio Toigo Filho.

A RBS participará da ação por meio da Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho (FMSS), marca social da companhia.

A distribuição será realizada em parceria com a CUFA em Porto Alegre, Caxias do Sul, Passo Fundo, Pelotas e Santa Maria. Mas o convite é para que outras empresas façam também parte do projeto, permitindo ampliar o número de máscaras doadas, comunidades atingidas e municípios cobertos pela iniciativa.

– Desde o início da pandemia, a Renner vem atuando em diversas frentes para preservar a saúde e o bem-estar de colaboradores, clientes, parceiros de negócio e comunidades. A situação exige diálogo, transparência e serenidade, pois todos temos que vencer um inimigo em comum, que é o coronavírus. E conseguiremos isso de forma mais rápida unindo esforços. Atuar em uma grande corrente de colaboração, como essa com a RBS e a Lebes, nos permite multiplicar resultados, otimizando os cuidados a quem mais precisa de nós neste momento. Por isso, convocamos outras empresas a se juntarem a esta rede e ficamos à disposição daqueles que queiram construir em conjunto outras alternativas de apoio – diz o diretor presidente da Lojas Renner, Fabio Faccio.

RBS, Renner e Lebes estão trabalhando em força-tarefa para organizar a logística da ação, que deve se iniciar ainda em maio.

#VAMOSEMFRENTE

O enfrentamento à Covid-19 no Brasil tem gerado desafios não só ao varejo, mas para a economia e a sociedade como um todo. São muitas as dúvidas para solucionar a equação que envolve a saúde da população e a dos negócios. Fiel ao seu DNA varejista, a CDL POA está sempre em busca da promoção do desenvolvimento do setor, por meio de um posicionamento responsável e colaborativo. Para isso, a Entidade lança, nesta quarta-feira (6), a campanha institucional #VamosEmFrente.

Com o objetivo de despertar um sentimento de união, otimismo, resiliência e retomada, a campanha propõe um resgate da confiança e o reforço do entendimento de que o período é transitório, e que tudo irá se restabelecer. Com um viés de inspiração e compartilhamento de ideias práticas, a CDL POA apresentará conteúdos autorais que servirão como ferramenta de apoio aos lojistas.

Com especial atenção aos canais digitais, a ideia é transformá-la em um viral, que estimule o engajamento das pessoas e o seu compartilhamento para a criação de uma corrente positiva e próxima à área de negócios, a partir de cases reais. Também serão disponibilizados e-books que servirão de material de apoio para mudanças. A Entidade entende que publicitar ações práticas de superação da crise é uma forma de incentivar empreendedores na busca de alternativas para adaptação, criatividade e continuidade de toda a cadeia produtiva do varejo.

Para o presidente da CDL POA, Irio Piva, #VamosEmFrente é mais do que uma campanha. “É o manifesto que sintetiza a nossa vontade como Entidade que sempre trabalhou para o desenvolvimento de negócios: o de seguir adiante dentro dos desafios que nos são impostos e de olhar em frente para construir um ‘novo varejo’, em uma nova realidade que vivemos”, pontuou.

A transição de um momento para o outro da campanha irá respeitar o timing dos acontecimentos no País, porém, com especial atenção à situação da Capital e do Estado. Em relação aos canais, haverá utilização dos canais próprios da CDL POA e outras mídias tradicionais.

MANIFESTAÇÕES DO MERCADO

Orestes de Andrade Jr

Gestão e inovação, as marcas deixadas por Orestes Jr. na Comunicação da Prefeitura da Capital.

Uma gestão baseada na inovação e no jornalismo de dados. É assim que o radialista e jornalista Orestes de Andrade Jr. qualifica o seu trabalho como secretário de Comunicação da Prefeitura de Porto Alegre. A convite do prefeito Nelson Marchezan Júnior, Orestes Jr. deixou a presidência da Fundação Piratini (TVE e FM Cultura) e ingressou no município em 31 de julho de 2018 e, nesta sexta-feira, 3 de abril, encerra um ciclo de 21 meses. “Foi a oportunidade da minha vida e o maior desafio profissional que já enfrentei. Acho que consegui cumprir a missão dada pelo prefeito Marchezan: dar fluxo natural à comunicação da Prefeitura e mostrar, com transparência, as ações realizadas pelo poder público na Capital dos gaúchos”, afirma.

Com um MBA em Liderança, Inovação e Gestão 3.0 concluído na PUC-RS enquanto esteve como secretário de Comunicação, o jornalista aplicou alguns dos conhecimentos adquiridos para mudar a gestão da equipe. “Promovi uma completa reestruturação das áreas, organizando os profissionais em “squads”, pequenos esquadrões multidisciplinares, com autonomia de ação e decisão baseadas nos princípios claros que definimos para a Comunicação da Prefeitura de Porto Alegre”, conta Orestes Jr. A iniciativa é inspirada nos conceitos de métodos ágeis, muito comum em empresas de tecnologia, especialmente nas startups, que unem talentos diferentes em pequenos núcleos para tomar decisões rápidas.

Outra novidade implantada pelo secretário foi baseada no jornalismo de dados, uma especialidade que surgiu há pouco mais de 10 anos para atender o crescente papel dos números na produção e distribuição de informações na era digital. “A comunicação é um tanto avessa à gestão, a números. Em geral, somos mais intuitivos. O prefeito pediu que tudo que fizéssemos pudesse ser trazido em dados objetivos, racionais. Foi assim que surgiu a grande inovação da minha gestão: um sistema de controle e gerenciamento de todas as informações produzidas pela Prefeitura com a devida verificação do seu aproveitamento pela imprensa. Montei o projeto e a empresa CWA implementou sem custo para a prefeitura. Agora, este sistema criado aqui já é utilizado pelo governo estadual e por vários outros clientes da CWA”, diz Orestes Jr.

O sistema traz um dado interessante, que reflete o trabalho feito pelo jornalista na Comunicação da Prefeitura. Em novembro de 2018, quando começou a operação do sistema, a prefeitura gerava cerca de 30 matérias por dia, com um aproveitamento de apenas 36% pela imprensa. “Quando cheguei, fiz um levantamento manual com a equipe e vimos que o aproveitamento era inferior a 25%. Primeiro, diminuímos pela metade a quantidade de informações enviadas à imprensa. E aprimoramos a qualidade e estratégia das pautas produzidas. Rapidamente chegamos a 50% de aproveitamento das matérias elaboradas e há meses este índice é sempre superior a 60%, conforme a ferramenta”, explica Orestes Jr. Em março, com a pandemia do coronavírus, a aproveitamento das pautas geradas pela Prefeitura alcançou 76%. Outro levantamento da CWA mostra que a avaliação positiva do governo melhorou significativamente. “Na minha gestão, tivemos média de 75% de matérias positivas, um avanço e tanto”, comemora.

Além das ferramentas de gestão implantadas, o secretário destaca o papel das pessoas. “Não se faz nada sem bons profissionais. Sempre digo que talento é obrigação nas minhas equipes, mas comprometimento é o diferencial que eu busco em cada membro do time. Consegui montar uma equipe dos sonhos, com profissionais talentosos e extremamente comprometidos. Hoje, a Comunicação anda praticamente sozinha, cada um cumprindo o seu papel”, diz, orgulhoso.

Transição

Orestes Jr. conta que adiou sua saída justamente para preparar uma transição tranquila. Ele conversou com o prefeito sobre seu desejo de deixar o cargo de secretário logo no início do ano, antes de sair de férias. “Disse que queria focar no meu mestrado e procurar oportunidades na área de inovação. Na prefeitura, é 24 horas por dia, sete dias por semana. Chegou a hora de deixar a vaga para alguém com mais energia. Dei o meu máximo até aqui. Confesso que estou esgotado. O prefeito disse pra eu sair de férias, descansar, e que depois conversaríamos. Fizemos isso e ele pediu que eu programasse minha saída junto com os demais secretários. Foi o que fiz”, revela.

Nesta semana, uma nova proposta apareceu – a vaga de coordenador da bancada do PSDB na Câmara de Vereadores. “Fui convidado pelo vereador Ramiro Rosário, meu colega secretário, e recebi o incentivo do prefeito Marchezan para continuar perto do governo, ajudando na aprovação dos projetos importantes para a cidade no Legislativo. É uma possibilidade forte. Vou avaliar com a minha família no final de semana e, na segunda, anuncio minha decisão”, diz. O jornalista ainda tem propostas de uma empresa de tecnologia, de uma universidade e o pedido da família para coordenar a campanha do sogro, Bruno Hesse, a prefeito de Santo Ângelo.

Ainda não há definição sobre quem será o substituo de Orestes Jr. na Comunicação da Prefeitura. “Como a equipe está organizada em seus “squads” e bem próxima do prefeito, pois consegui exercer a difícil arte da delegação, imagino que, por hora, o trabalho vai seguir normalmente até a seleção de um profissional pelo Banco de Talentos”, informa. “Aprendi que autonomia é irmã da comunicação. Todo mundo pode e deve fazer, mas é preciso sempre contar o que está fazendo. Fizemos isso o tempo todo, com grupos de WhatsApp internos e com os veículos de comunicação”, ressalta.

Em sua página o Facebook, Orestes Jr declarou: “Marchezan é um cara simples, honesto, transparente, corajoso e que quer fazer o bem a cada minuto do seu dia. Brigão, sim, porque ele briga por 1,5 milhão de pessoas.Continue brigando, Marchezan, comigo e com todo mundo, pelo desenvolvimento de Porto Alegre. Tenho um orgulho extremo de ter feito parte da tua equipe e de ter merecido a tua confiança. Estamos e vamos juntos. Sempre em frente. Obrigado!”

Jonatas Abbott

Almocei num Buffet ontem ao meio dia.

Imaginem a aventura! Estava no litoral onde praticamente tudo está aberto. É uma grande salada de velhos e novos costumes. Estava friozinho mas as portas do restaurante estavam escancaradas. Foi, provavelmente, o primeiro buffet a abrir. Na entrada somos informados que máscara é obrigatório. Olho em volta, quase todas as mesas ocupadas e ninguém de máscara. “É obrigatória para circular, depois de sentar não” me explica a recepcionista.

Faz sentido. O buffet em si tem cobertura de vidro mas o uso da máscara garante menor risco de contaminação. Me senti bem mais seguro. Não foi a primeira experiência pós-pandêmica. Fim de semana retrasado almoçamos numa cantina maravilhosa, filial da matriz de Gramado. Tinha garçom com luva, garçom sem. Garçom com máscara e garçom com ela no pescoço. No momento mais comovente o garçom chegou na nossa mesa e abaixou a máscara para melhor nos atender.

Será isso. Quando iniciarmos a retomada nas grandes capitais será assim. Um festival de um pouco de tudo. Mas melhor máscara no pescoço que sem máscara alguma. Aos poucos e aos trancos e barrancos iremos nos adaptando. A maior higiene sem dúvida evitará uma série de problemas de saúde causados também por bactérias e outros vírus.

Serão alguns meses muito chatos. Comprar será chato, comer fora será chato. Mas vai passar. Aos poucos, monotamente. Mas vai passar.

OBS.: É claro que minha maior segurança vem do fato de Capão da Canoa e Xangrilá terem índice baixíssimo de contaminação por Corona Vírus. Não sei se frequentaria, nesse momento, um restaurante buffet em São Paulo.

Cassio Sclovsky

Me criei indo a jogos do Grêmio com meu pai, e lembro de uma figura inimitável no Olímpico: o massagista Banha. Carismático e acima do peso (óbvio), Banha saía correndo quando um jogador se machucava, arrancando risos de todos nós. Mas não ríamos apenas da agilidade improvável do Banha: ríamos da felicidade que era saber que, se o Banha entrava em campo, aquele jogador provavelmente continuaria na partida. Acho que neste momento o mundo está precisando de um Banha: alguém que venha correndo, nos faça uma massagem com Gelol, e nos coloque de volta na partida.

Silvio Sibemberg

Abre já! Chegou por whats um texto anônimo que pede responsabilidade do “empresário responsável” pelas nossas praças. Diz que as pessoas circularam muito nesse fim de semana por esses “estabelecimentos” sem os mínimos cuidados para não contrair e ou disseminar o vírus. Muitos sem máscara e confraternizando até mesmo com o chimarrão na roda. Na orla do Guaíba o festerê foi total. Agentes públicos para orientar o uso dos equipamentos de prevenção nem pensar. Continuando… E que não achava certo o responsável por nossas áreas públicas não impor o fechamento desses lugares. Pedia coerência ao setor público. Fácil fechar o comércio, problema dos empresários e seus colaboradores. Mas na hora de exigir o mesmo para lugares sob responsabilidade direta do poder público silencio absoluto. O vírus deve ser eletivo, tipo só se dissemina em pequenos negócios, shoppings centers, bares e restaurantes, etc. Em praça pública nem pensar. Deixa o pessoal tomar um solzinho, afinal estão de quarentena tem tempo. Deve ter sido este o raciocínio do nosso prefeito. Antes disso, na véspera do feriado houve a liberação de microempresas e outras atividades onde o Corona não atua, segundo podemos depreender da decisão do Marchezan. Vários pesos e várias medidas para conduzir um assunto extremamente espinhoso e sobre o qual cada vez sabemos menos. Por isto mesmo incompreensível a discriminação de uns em favor de outros. A atividade econômica é a soma de muitos setores, não é nada justo impedir uns de exercer seus negócios em detrimento de outros. Sendo irônico acho até que o prefeito se inspirou nos corredores de supermercados para não dar importância para as praças públicas lotadas. A desobediência quanto ao uso de mascaras é muito expressiva nesses estabelecimentos. Os comerciantes estão no limite. Sem recursos não tem escolha senão a de demitir seus colaboradores e fechar suas portas em definitivo se perdurar mais alguns dias essa insanidade. Percebe-se claramente o receio dos representantes das entidades de classe no sentido de abraçarem a bronca e bancarem a abertura do comercio. Não querem transgredir nem chamar para si a responsabilidade sobre eventuais aumentos dos números da epidemia. Mas nesse jogo de empurra-empurra estamos perdendo todos. Mantida as atuais determinações os prejuízos que virão serão incalculáveis e o desemprego alcançara níveis nunca imaginados. Está mais do que na hora de alguém empunhar a bandeira do “abre já!”

Dudu Gerchman

Nossa geração teve todas oportunidades do mundo para fazer o Brasil virar uma Coreia ou Espanha em 30 anos. Pegamos uma China crescendo 10% ao ano por 40 anos; 1 bi de pessoas entraram para o mercado mundial de consumo somente lá. Descobrimos petróleo em proporções inéditas: nenhum país achou um presente natural assim em 40 anos fora a Noruega com o Mar do Norte que iniciou a explorar mais forte há 20 anos. Temos reservas cambiais para qualquer crise econômica nos pxs 20 anos, o que nunca tivemos. Mas? Nossa geração não deu certo. Mais uma. Talvez fosse a que encontrou o Brasil mais pronto para o salto. E erramos. Não erramos por causa do vírus. Não erramos por causa do govermo A ou B ou Mito. Nós perdemos o jogo. Brasil não é melhor que Brasília. É tão medonho quanto. Leia o Facebook de seus conhecidos. Gente do nosso padrão. Entenda como estamos jogando o jogo errado. Vai ficar para nossos filhos. Fazer o país virar Coréia em 30 anos. Nós perdemos.

Daniel Oliveira

EXATAMENTE ASSIM!!!!! Tenho visto muitos de vocês preocupados com os autônomos e com as pequenas empresas: “Será que eles terão o que comer?” Essa preocupação é ótima, mas espero que continuem preocupados quando tudo isso acabar, pois o que vivíamos antes, até 2 meses atrás, era exatamente o seguinte: Seu amigo era agente de viagens, mas vc só o chamava para tirar informações e dúvidas e comprava em sites! Seu amigo era Corretor de Seguros mas você só perguntava o preço, tirava dúvidas, mas fechava o seguro com o banco, às vezes por uma diferença de R$10,00 mensais ou algo perto disso. Mas quando acontecia o problema, pedia pra ele te socorrer pois o gerente do banco não te atendia. Seu vizinho tinha uma lanchonete, mas você atravessava a cidade só pra ir comer no Mc’Donalds. Seu amigo tinha uma academia, mas você preferia treinar naquela famosa, só para postar fotos e fazer “check-in”. Sua amiga vendia comida, mas você preferia pagar mais caro pela marca, pela embalagem, pra comer a mesma comida cheia de transgênicos. Seu amigo abriu um salão de beleza no bairro, mas você só ia naquele salão chique porque tem nome. Seu amigo fazia bolos e doces lindos e deliciosos mas você prefere ir lá naquela padaria cara comprar só pela marca dela. Sua colega vendia roupas, lingeries e semi jóias, mas você não tinha tempo pra ver, pois preferia comprar naquela loja do shopping. Seu amigo/parente é fotógrafo e você o convidava para algum evento e pedia pra que levasse a máquina junto, afinal ia aproveitar a festa como “convidado”. Seus amigos são ótimos profissionais na área da saúde mental, mas prefere ir naquele que tem mais nome é aparece mais. Seu amigo era músico e você recusava ir no show dele por 10 reais pra ir ver um gringo por R$ 500, e quando vc dava uma festa pedia pro seu amigo tocar de graça em nome da amizade. Meses atrás todas essas pessoas já eram autônomos. Muitas vezes NEM OS PRÓPRIOS AMIGOS E FAMÍLIA DÃO FORÇA AO PEQUENO NEGÓCIO… TRISTE DEMAIS ESSA REALIDADE Que essa pandemia mude o nosso jeito de olhar e se relacionar com as pessoas!

SPR

O que o Sistema Fecomércio-RS, o Sesc e o Senac fazem em tempos de pandemia? Ajudam e continuam ao lado das pessoas, pois “nossa força vem de você.” Essa é a mensagem do vídeo e da campanha digital criados pela SPR para as três entidades do comércio no Rio Grande do Sul. A ação busca mostrar e valorizar tudo o que o Sistema Fecomércio, o Sesc e o Senac estão fazendo para amparar as pessoas durante o período conturbado que estamos vivendo com o novo coronavírus (Covid-19).

O vídeo criado pela SPR, em parceria com a Brasão Real na produção de imagem e a Loop Reclame na produção de áudio, é protagonizado por dois entes essenciais para o comércio: o público e os funcionários. Com esse propósito, a peça mescla imagens de pessoas em casa, representando o público, com imagens dos funcionários do Sistema Fecomércio, Sesc e Senac realizando ações para beneficiar o público. Dessa forma foi possível mostrar que, mesmo em tempos difíceis, o Sistema Fecomércio, Sesc e Senac continuam fazendo o seu melhor para ajudar as pessoas.

“Muito para contar, sem dúvida, um belo desafio. Como resultado criamos um filme com bom ritmo através de mosaicos visuais, o que permitiu uma narrativa dinâmica como resultado final”, comenta Juliano Brenner Hennemann, diretor-executivo da SPR.

Confira o vídeo em https://bit.ly/35DOFNI

Ficha Técnica

Campanha: Ações Quarentena
Peças: VT
Cliente: Fecomércio-RS/Sesc/Senac
Agência: SPR
Diretor-Executivo: Juliano Hennemann
Diretor de Estratégia e Inovação: Gustavo Ermel
Diretora de Atendimento: Giorgia Antunes Lorenz
Executiva de Atendimento: Barbara Vellwock
Assistente de Atendimento: Clarissa Mielke
Direção de Criação: Fábio Henckel
Direção de Arte: Letícia Gabriela Brocker
Redação: Giovani de Moura Picoli
Revisão:  Bruna Martins Vilagran
Social Media: Cleiton Pires
Produção Eletrônica: Luana Bier Hans
Fornecedor de Vídeo: Brasão Real
Fornecedor de Áudio: Loop Reclame
Aprovação do Cliente: Anna Quadros

BANRISUL

O aumento do número de casos confirmados do novo Coronavírus e a consequente necessidade de distanciamento social, recomendado pelas autoridades de saúde, pautaram a campanha do Banrisul, assinada pela Agência Moove, solicitando aos clientes que utilizem plataformas digitais e evitem ir às agências.

Socialmente responsável e comprometido com as medidas de saúde adotadas para proteção da população, o Banrisul passou a solicitar que os clientes utilizem o aplicativo Banrisul Digital, que possibilita executar transações no celular, de qualquer lugar, sem necessidade de deslocamento.

Além do APP, os clientes podem ter acesso aos serviços do Banrisul pelos canais próprios de comunicação – consultando o Banrifone, contatando o gerente via telefone ou usando o chat pelo Home/Office Banking.

Para a campanha, a Moove desenvolveu o conceito ‘Banrisul e você. Nossa parceria faz a diferença’, o qual traduz o posicionamento do banco em meio à pandemia da Covid-19: buscar o bem-estar de clientes e colaboradores.

Foram utilizadas imagens da campanha do APP Banrisul Digital, com cenas de pessoas em ações que remetem ao isolamento social. A campanha foi protagonizada pelo músico Thedy Corrêa, que fez a locução e assinou as peças eletrônicas.

Para divulgação, foram criadas as peças: filme de 30″ para televisão; dois spots para emissoras de rádio da capital e do interior do estado; três anúncios para veiculação em jornais; e mídia on-line, com cards e stories para redes sociais.

Ficha Técnica

Campanha: APP Banrisul Digital/Covid19
Cliente: Banrisul
Criação: Moisés Bettim e Laura de Azevedo
Direção de Criação: Laura de Azevedo
Direção de Atendimento: Rosângela Lopes
Atendimento: Fernanda Rauber e Ritiele Medeiros
Produção Gráfica: Robson Albuquerque e Carla Bildhauer
Mídia: Irenita Boff, Dulce Weiss e Taila Loureiro
Performance: Débora Martins e Bruno Milão
Arte-Final: Christian Vieira
Aprovação Cliente: Lisane Fernandes, Rodrigo Ávila e Carlos Ribeiro
Fotos: Estúdio Mythos – Thiago Peraça
Manipulação de Imagem: Estúdio Mythos – Zé Waxemberg
Produtora de Vídeo: Cubo Filmes – Direção: Pepe Medina
Produtora de Áudio: Radioativa

AUTOR DESCONHECIDO

E se os parques e praças de Porto Alegre fossem uma só empresa, que irresponsável seria o empresário, o dono, permitindo aglomeração de “funcionários” e clientes.

Que negligente este empresário, não exigindo o uso de máscaras, não disponibilizando álcool 70%, não medindo a temperatura e nem, simplesmente fazendo o básico: ensinando as pessoas a terem cuidados preventivos, higienização das mãos, por exemplo.

Onde estão as sinalizações de distanciamento? Onde está a comunicação visual contemplando informações e orientações preventivas ao Covid-19? Onde está fixado o decreto?

O vírus existe, o risco de contágio é enorme, por isto é fundamental que existam regras, incentivo  aos cuidados, estruturação real e aplicação de métodos preventivos.

Portanto, Sr. empresário desta grande empresa chamada “praças e  parques”, sua falta de critérios com a sua própria empresa, faz com que suas palavras voem com o vento e contaminem milhares de pessoas, com a doença chamada demagogia.

REALIDADE VIRTUAL

A startup Mespper Tecnologia, incubada na unidade de Campo Bom do Feevale Techpark, foi convidada a participar da 5ª Conferência Global de Realidade Virtual (GVRC) da China. O evento, considerado um dos mais importantes do mundo, será realizado no dia 17 de maio, conectando empreendedores de diversos países, que compartilharão suas ideias em âmbito global.
O founder da Mespper Tecnologia, Messias de Paula Pereira, foi convidado pelo Grupo FXG e pelo comitê organizador da conferência para ser um dos palestrantes devido aos trabalhos da empresa com a China Telecom/Mobile. A Mespper ingressou no mercado chinês no ano passado, com um software que permite ao usuário subir todos os seus arquivos (imagens, vídeos e objetos, entre outros) em um ambiente de realidade virtual.
Na conferência, Pereira terá que explanar sobre XR Content em até 20 minutos. “A nossa fala será pautada nos conteúdos que o nosso software permite alcançar e na importância que se tem quando usado com a tecnologia 5G. O Feevale Techpark tem sido nosso aliado, garantindo o acesso a sua estrutura e apoio na produção, por meio dos laboratórios da Universidade Feevale”, afirma. O founder da empresa destaca que a conferência tem como norte orientar investidores, programadores e empresários em geral a terem, como referência, o compêndio de todas as orientações dadas por seus participantes. “É uma grande responsabilidade para o setor”, complementa.
O 5G é estratégico para a China, que possui um mercado consumidor e empresarial em crescimento e uma cadeia industrial cada vez mais sofisticada. Para promover o desenvolvimento acelerado do 5G, o Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação liderou uma campanha de comercialização, enfatizando a importância do produto e o papel que este desempenha no consumo de novas mídias. Agora, graças às inovações do 5G, uma nova onda de aplicativos e usos para realidade virtual será possível.
Segundo os organizadores do evento, a importância de integrar tecnologia no trabalho e na vida ficou visível em meio à pandemia da Covid-19. Eles lembram que o uso de ferramentas de colaboração remota tornou-se essencial para a sobrevivência de uma empresa. “Essa pandemia trará inovações tecnológicas e possibilitará novos negócios e ecossistemas”, afirmam eles, acrescentando que é preciso aproveitar ao máximo esse tempo conturbado para criar a próxima onda de trabalho e novos estilos de vida.

GMPR TALKS
O GMPR TALKS é um evento desenvolvido pelo Grupo de Mídia do Paraná para abordar temas atuais e relevantes para todo o mercado. No evento que aconteceu na quinta-feira quem dividiu um pouco da sua experiência foi Mário D’andrea, presidente da Dentsu, um dos maiores grupos publicitários do mundo, e também presidente da ABAP, Associação Brasileira de Agências de Publicidade.

Por mais que o tema não fosse específico sobre mídia OOH não resta dúvida que nosso mercado tem muito o que ouvir e aprender com esse tipo de evento e por isso foi repassado o convite, pois acreditamos que um mercado de mídia OOH mais forte só será possível com a qualificação de todas as empresas, sejam elas grandes, médias ou pequenas.

INVESTIMENTOS

O CMO da Mastercard, Raja Rajamannar, deu uma entrevista à Marketing Dive afirmando que a marca irá manter seus investimentos em marketing durante a pandemia, incluindo sua estratégia de difundir e valorar sua arquitetura de sonic branding, mas terá que alterar suas táticas e ações.
Assim, a maior parte das atividades ligadas a eventos ao redor do mundo estará sendo executada nas mídias e focada onde a maioria dos consumidores agora está: em isolamento. “A marca precisa estar visível – disse – pois não podemos desaparecer. Mas não é hora de vender, é hora de servir. Este é um momento para ajudar e não ser oportunista”, completou.
A arquitetura de sonic branding do Mastercard está planejada para ter 10 versões, mas apenas três estão atualmente sendo executadas no mercado: uma melodia de 30 segundos que serve como base, um mnemônico de 3 segundos que toca no final dos comerciais e um som de aceitação de 1,3 segundos que soa quando as transações são concluídas, que agora está presente em 36 milhões de pontos de contato.
Por sua vez a Unilever assegurou que irá manter seus investimentos publicitários mas irá redefinir sua prioridades, estratégias e táticas, como declarou seu CFO, Graeme Pitkethly, em conferência para investidores: “A produção de publicidade parou e os custos de mídia diminuíram, assim poderemos aumentar o alcance de nossa publicidade com o mesmo nível de gastos”, pontuou.
Refletindo as importantes alterações nas vendas das marcas de suas três divisões – alimentos e bebidas, produtos de limpeza doméstica e de cuidados pessoais – em diferentes mercados, seu CEO, Alan Jope, disse que essa realidade demanda relevantes adaptações e um gerenciamento mais inteligente e eficaz dos mesmos recursos.
E completou: “a Unilever foi construída para momentos como este. Muitos de nossos mercados têm um histórico de gerenciamento de crises, onde demonstramos não apenas nossa capacidade de gerenciá-las, mas também de gerar uma vantagem competitiva. Vamos sair dessa crise melhor posicionados para o futuro. ”
GRANDES MARCAS

Após um período de quatro anos na American Airlines, mesmo ocorrendo por uma crise sem precedentes, durante uma campanha de marca para explicar porque uma empresa mantém seus vôos, usando imagens de consumidores e funcionários, exibindo exercícios nos aeroportos e viagens com muito poucas pessoas.
Sob o tema “Você é o motivo de voarmos”, uma voz desativada explica que a empresa já enfrentou muitos desafios nos seus 94 anos de vida e será mais um vencido. Sem recursos para mídia de massa, está usando seus canais exclusivos e uma variedade de recursos na internet, mas considere que é um esforço necessário para manter sua voz viva.
A Stella Artois, por sua vez, também está usando o digital para promover sua iniciativa de dar suporte a bares que vendem vouchers para itens usados ​​quando reabrirem, na campanha “Sempre há um depois”, que lembra uma história de 600 anos da marca e como muitas crises superadas desde então.
E a Budweiser está retornando sua campanha histórica “Whatssup” com um áudio adequado no momento da quarentena e destacando que graças à tecnologia como as pessoas podem continuar falando e “encontrando” seus amigos.

COVID-19

Cientistas do mundo todo estão se esforçando no sentido de apresentar soluções para manter a segurança das pessoas em relação à Covid-19. Nesta terça-feira, 5, aconteceu o Giving Tuesday Now, um movimento global para combater a pandemia e dar uma resposta imediata à necessidade sem precedentes causada pelo novo coronavírus.
Nessa data em que pessoas de diferentes países se uniram, mostrando a sua generosidade e retribuindo às comunidades que estão mantendo o distanciamento físico, a pesquisadora Juliana Schons Gularte, que atua no Laboratório de Microbiologia Molecular e no Laboratório de Saúde Única da Universidade Feevale, recebeu uma ótima notícia. Ela foi uma das sete cientistas brasileiras selecionadas pela Dimensions Sciences, uma organização não governamental e sem fins lucrativos dos Estados Unidos, para receber uma bolsa de estudos para auxiliar no diagnóstico da Covid-19.
Doutora em Qualidade Ambiental pela Universidade Feevale, Juliana trabalha com pesquisas em virologia, no monitoramento da qualidade ambiental através da detecção de marcadores virais e bacteriológicos de contaminação fecal e no desenvolvimento de um sensor microfluídico para a detecção de mastadenovírus humano. Ela se inscreveu, com apoio do Mestrado em Virologia e do Laboratório de Microbiologia Molecular da Universidade Feevale, para reforçar a força-tarefa de diagnóstico da Covid-19.
Para Juliana, o apoio da Dimensions Sciences será muito importante, uma vez que a bolsa possibilitará a ela contribuir com o diagnóstico na região, ainda mais nesse momento de grande demanda, em que o laboratório necessita do auxílio de profissionais que tenham experiência com abordagens moleculares. “Esse tipo de iniciativa, que apoia pesquisadores que estão na linha de frente dos laboratórios brasileiros, é de extrema relevância, pois acelera a geração de conhecimento e auxilia na formação em ciência e tecnologia no nosso país”, afirma.
Com a bolsa, Juliana vai auxiliar diretamente na realização de testes moleculares para o diagnóstico das amostras de pacientes suspeitos da Covid-19. Essas amostras são enviadas à Universidade Feevale por municípios conveniados e recebidas pela equipe do Laboratório de Microbiologia Molecular, que vem desenvolvendo este trabalho desde o final de março. “Nosso grupo de pesquisa em virologia vem realizando diagnósticos confiáveis, por abordagens moleculares, para a população do Vale do Sinos. Esse projeto tem como objetivo principal identificar, o mais próximo possível, o real número de pacientes infectados na região”, explica.
Segundo Juliana, o diagnóstico correto tem importância direta na saúde dos pacientes, pois afeta a escolha do tratamento e os cuidados de saúde a serem abordados. “Além disso, esses dados podem interferir diretamente na definição das melhores medidas e ações que as autoridades públicas devem adotar, principalmente no que se refere ao isolamento social”, complementa.

STREAMING

O desempenho acima do previsto fez a Netflix encerrar o primeiro trimestre de 2020 com 182,86 milhões de assinantes no mundo todo e receita de US$ 5,77 bilhões. O lucro líquido ficou em US$ 709 milhões — foram US$ 344 milhões no mesmo período do ano passado. Enquanto as pessoas buscam se afastar do vírus, passam mais tempo em casa. O que eles estão fazendo em casa? Usando serviços de streaming, é claro, e há mais opções do que nunca com Disney +, Apple TV Plus e outros que serão lançados em breve como Peacock, HBO Max e Quibi.

FEEVALE LIVE

A Universidade Feevale está oferecendo, por meio do Feevale Live, uma série de conteúdos relevantes, úteis e divertidos para alunos e pessoas da comunidade que estão em isolamento domiciliar, em decorrência da pandemia do novo coronavírus. O projeto surgiu em função das medidas do distanciamento social, fundamentais para que a propagação do novo coronavírus seja minimizada.
Em formato de live (vídeo ao vivo), assuntos como beleza, saúde, home office e lazer, entre outros, serão abordados por professores da Instituição. A programação acontece no canal do YouTube da Feevale de segunda a sexta-feira, sempre às 17h, com duração máxima de uma hora. Para acompanhar, acesse www.youtube.com/universidadefeevale.
Confira os assuntos que foram/serão debatidos nesta semana:
05/05 | Cobertura do coronavírus: instantaneidade do Jornalismo em tempos de crise, com a professora do curso de Jornalismo Cristiane Weber e convidada Cecília Flesch, da GloboNews
06/05 | A importância do cuidado com a pele das mãos durante o uso excessivo de substâncias como álcool, com a professora Manoela Heinrichs dos Reis Neves, do curso de Estética e Cosmética
07/05 | Declaração de IRPF, com a professora Margareth Aparecida Moraes, do curso de Ciências Contábeis
08/05 | Tendências de Marketing Digital, com Luis Henrique Rauber, coordenador dos cursos de Fotografia e Publicidade e Propaganda

SBT

Na próxima semana, o SBT vai realizar o SBT All Stars, um torneio virtual do jogo Fifa 20, estrelado por celebridades. O campeonato será transmitido pelo Facebook e o Youtube do SBT Games de 4 a 6 de maio. A atração contará com 16 participantes, jogadores profissionais e influenciadores, que vão competir em formato “mata-mata”.

O campeonato virtual vai reunir jogadores como Thiago Silva, Rodinei, Tiago Volpi, Tche Tche, Pablo e Alexandre Pato, que é embaixador do projeto. O evento terá locução do comediante e radialista Diguinho Coruja e comentários de Rudy Landucci, Ed Gama, Danilo Gentili e Murilo Couto.

Segundo a emissora, o campeonato é uma reação ao isolamento social e o aumento da demanda do público por conteúdo. O SBT Games é uma iniciativa do canal para se aproximar do público gamer com cobertura de evento e produções originais.

PAIM COMUNICAÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL

A Paim Comunicação sempre acreditou que a tríade tecnologia, informação e pessoas gera um ecossistema que constitui um dos principais caminhos para a inovação e o desenvolvimento socioeconômico. Tanto que a empresa tem como um dos seus drivers a transformação digital. E os desdobramentos da pandemia com o consequente isolamento social preconizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) fazem com que processos sejam repensados, e o mercado acelere a velocidade de mudança para, principalmente, atender às demandas do consumidor. Por isso, na próxima terça-feira (05/05), Rodrigo Leke Paim, responsável área de inovação e tecnologia da agência, vai ser o mediador da live “Linguística computacional e Covid, o que têm em comum?” . A promoção é do Inovabra Habitat, espaço de coinovação do Bradesco, do qual a Paim faz parte e onde empresas, startups, investidores e mentores trabalham de forma colaborativa a fim de inovar e gerar negócios.

O evento vai ao encontro da importância de entender que os novos tempos vão requerer novas ferramentas ou a intensificar os recursos já presentes no dia a dia, como o chatbot – tecnologia subutilizada e que pode integrar um conjunto de solução na relação marcas x consumidores. Quando se cria chatbots para as empresas, o pensamento é direcionado a estruturas de fluxos de conversação e também utilização de sistemas de processamento de linguagem natural como IBM Watson, DialogFlow, RASA e outros. No encontro, será apresentado o Projeto Clarice, a inteligência artificial que ajuda a escrever melhor, desenvolvido por um dos convidados, Felipe Iszlaji, doutor em Linguística Computacional pela UNESP e pós-doc em Computação Criativa pela Universidade de Coimbra.  Os outros participantes serão Bruno Fazoli e Cassiano Maschio.

“A Paim comunicação entende que a transformação digital não é mais uma escolha. Neste contexto que vivemos, chatbots estão se tornando cada vez mais indispensáveis para dar conta da instantaneidade que os usuários precisam de informações. E, na live, vamos debater sobre as diversas aplicações que esta tecnologia possui nos dias de hoje”, antecipa Rodrigo Paim, 26 anos, formado em Administração com ênfase em Gestão para Inovação e Liderança pela Unisinos e mestrado na De Montfort University (DMU – UK) em Marketing Estratégico e Digital.

A Paim vem se transformando, e o cenário pós-pandemia também está acelerando transformações nas empresas devido às alterações nos hábitos e comportamentos do consumidor. “O nosso novo normal, pós-Covid, vai ser bem diferente. Terá mais agilidade, mais tecnologia, mais digital e ressignificações de aspectos do dia a dia”, conclui Rodrigo.

DIA DAS MÃES

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) estima que a crise provocada pelo novo coronavírus vai acarretar uma queda histórica do volume de vendas no varejo, no Dia das Mães de 2020. Em comparação com o ano passado, a entidade projeta um encolhimento de 59,2% no faturamento real do setor na data, considerada a segunda mais importante no calendário varejista brasileiro.

Segundo o presidente da CNC, José Roberto Tadros, a projeção de queda para o Dia das Mães por causa da pandemia ficou acima das perdas estimadas para a Páscoa (-31,6%). “O Dia das Mães deste ano ocorrerá em meio ao fechamento de segmentos importantes para a venda de produtos voltados para a data, como vestuário, lojas de eletrodomésticos, móveis e eletroeletrônicos. Já a Páscoa tem como característica a venda de produtos típicos em segmentos considerados essenciais, como supermercados, que permaneceram abertos desde o início do surto de covid-19”, disse, em nota.

De acordo com a CNC, o ramo de vestuário e calçados é o que apresenta a maior expectativa de encolhimento durante o Dia das Mães, com queda de 74,6%, seguido pelas lojas especializadas na venda de móveis e eletrodomésticos, com perda de 66,8%, e pelo segmento de artigos de informática e comunicação, com retração de 62,5%.

Segundo o economista da CNC responsável pela pesquisa, Fabio Bentes, o comércio deverá registrar retração em todos os estados durante a data. “São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, unidades da Federação que respondem por mais da metade das vendas voltadas para o Dia das Mães, tendem a registrar perdas de 58,7%, 47,4% e 46,6%, respectivamente”, afirmou. Em termos relativos, três estados do Nordeste deverão registrar as maiores perdas: Ceará (-74,2%), Pernambuco (-73,5%) e Bahia (-66,2%). (Agência Brasil)

LGPD

O presidente Jair Bolsonaro editou a Medida Provisória nº 959, que aborda o pagamento do benefício emergencial aos autônomos e brasileiros sem renda fixa, por conta da crise gerada pela pandemia da Covid-19. Em meio ao texto, foi publicada uma nova decisão a respeito da entrada em vigor da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Sancionada em 2018, a Lei, que estabelece novas regras para a utilização de informações e dados pessoais no ambiente online, entraria em vigor em agosto de 2020. Com as turbulências trazidas pela pandemia da Covid-19, o Senado já havia aprovado, em abril, o adiamento da entrada da Lei em vigor, sob o argumento de que, em meio ao cenário complicado, as empresas não teriam recursos e condições de se ajustarem à regulamentação até o mês de agosto.

No dia 3 de abril, o Senado já havia votado um Projeto de Lei que adiava a entrada em vigor da LGPD para janeiro de 2021. Esse Projeto, no entanto, ainda tramitava na casa e precisava da sanção presidencial.

Agora, a Medida Provisória concede mais um prazo para que a Lei seja, de fato, aplicada. A medida já passa a valer desde a publicação no Diário Oficial, mas ainda precisa passar pela aprovação do Congresso para ser, de fato, regulamentada. Com a publicação da MP, o projeto de Lei anteriormente proposto pelo Senado, deve ser excluído.

FACEBOOK E TWITTER

Na semana passada, Facebook e Twitter apresentaram os resultados financeiros do primeiro trimestre, que servem como um primeiro panorama de análise dos impactos da pandemia da Covid-19 nos negócios das grandes redes sociais. Os números divulgados pelas companhias indicam duas tendências que devem prevalecer pelos próximos meses: o número de usuários das redes sociais tende a crescer durante o período de isolamento social. Paradoxalmente, essa alta audiência não conseguirá deter a queda do faturamento publicitário.

O Facebook encerrou o primeiro trimestre com um faturamento de US$ 17,4 bilhões, um crescimento de 17% em comparação com os três primeiros meses de 2019. Ainda assim, em conferência com os investidores, o CEO da companhia, Mark Zuckerberg, demonstrou pouco otimismo em relação ao futuro.

“O impacto em nosso negócio tem sido significativo e continuo muito preocupado que a atual emergência de saúde e suas consequências econômicas, irão durar mais do que as pessoas estão prevendo atualmente”, disse Zuckerberg. A rede social declarou que mais pessoas estão utilizando seus serviços durante esse período. Segundo a empresa, 2,36 bilhões de usuários, em todo o mundo, estão conectados diariamente aos seus aplicativos (Facebook, Instagram e WhatsApp), o que representa um crescimento de 11% na comparação com o mesmo período do primeiro trimestre de 2019. Apenas o Facebook, principal marca da companhia, registrou um incremento de 11% em seu número de usuários diários.

O chief financial officer do Facebook, David Wehner, declarou que esse aumento de usuários diários impulsionou o número de impressões publicitárias, porque houve um maior inventário a ser comercializado. Essas impressões cresceram 39% na comparação com o primeiro trimestre do ano passado. O preço dos anúncios, porém, teve uma queda de 16%, uma vez que muitos anunciantes também tiveram de rever seus investimentos em marketing e publicidade em meio à pandemia.

O Twitter também teve um início de ano de números positivos. A companhia registrou uma receita de US$ 808 milhões, número acima das expectativas dos investidores. Em quantidade de usuários, a rede social também cresceu: alcançou, no trimestre, a marca de 166 milhões de usuários diários ativos (no final de 2019, o Twitter contabilizada 152 milhões de usuários ativos). De acordo com os analistas, esse é o maior crescimento de usuários registrados pelo Twitter desde quando a companhia passou a relatar suas métricas, em 2016.

Assim como o Facebook e as demais redes sociais, no entanto, o Twitter também mostra que o aumento de usuários não representa, necessariamente, crescimento de receitas publicitárias. O faturamento comercial cresceu 3% no trimestre na comparação com o mesmo período do ano anterior, em um movimento de retração de verbas por partes das marcas. Analisando apenas o período de 11 a 30 de março, a queda de faturamento publicitário no Twitter foi de 27%. O declínio foi notado, sobretudo, no mercado dos Estados Unidos.

LEIA MAIS

Em DESTAQUE: Carta aberta de Jeff Bezos que todo líder inteligente deve ler

Em ESPECIAL: Pandemia – Varejo x E-commerce

Em VÍDEOS: Principais Campanhas do Dia das Mães

Tem OPINIÃO, CHARGE do talentoso Cado Bottega e ARTIGOS: do Jornalista Nelson Matzenbacher Ferrão, Alexis Thuller Pagliarini – presidente-executivo da Ampro

e do nosso articulista José Maurício Pires Alves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *