NOTAS DA SEMANA – 22.05.2020

E21

A Yara é a maior marca de nutrição de plantas do mundo. Fundada em 1905, tem atuação global, com cerca de 15 mil funcionários e vendas para produtores rurais de mais de 160 países.

O Brasil é o maior mercado da Yara, integrando 1/3 do quadro geral de colaboradores e das operações da empresa.

Neste momento de pandemia, marca decidiu fortalecer sua posição de liderança mercadológica e se manifestar em grande estilo: Com um filme de 45 segundos em rede nacional de televisão.

Na peça, a Yara se posiciona como uma parceira dos agricultores, valorizando o fato de atuarem sempre juntos, criando soluções de tecnologia aplicadas no mundo todo para alimentar todo o mundo.

A Yara sabe que mostrar que ambos se complementam fortalece a relação de confiança na marca. Afinal, para a Yara, o conhecimento que pode gerar novas ideias e novas soluções, só se justifica plenamente quando aplicado com técnica e sabedoria.

O filme – com roteiro da e21 e produção da Mythago – é um apanhado de belas imagens que exploram tanto a relação do homem com o campo, quanto a da Yara com o conhecimento e como os universos se cruzam, para um resultado maior. Uma verdadeira homenagem a um trabalho em conjunto

Para conhecer o o filme acesse: https://www.youtube.com/watch?v=3erAxLBhwhY

AGÊNCIAS

Estão trabalhando mais focadas em casa alegando menos deslocamentos, menos almoços, menos reuniões em que nada era decidido e principalmente que estão mais próximas das soluções dos clientes.

EB CAPITAL

Com dedicação total e participando de lives, Eduardo Melzer, o Duda, não se apresenta como presidente do Grupo RBS e sim como sócio diretor da EB CAPITAL, uma super empresa do mercado financeiro com grandes nomes e muito CAPITAL.

#REINVENTARP

Com a pandemia de coronavírus, profissionais de todo mundo estão tendo de se acostumar com um novo cotidiano em suas empresas. Para auxiliar o mercado da comunicação nessa adaptação, a Associação Riograndense de Propaganda (ARP) lançou uma ação nas redes sociais com foco em trocas sobre transformação. Com a hashtag #reinventARP, seguidores do @arpnews relatam seu cotidiano e quais mudanças estão enfrentando.

A ação funciona como um desafio, onde o profissional publica seu vídeo e convida outro a fazer o mesmo. Todos os relatos são compartilhados pela ARP em seu perfil no Instagram. “Nossa intenção é criar uma rede de trocas sobre como encarar esse novo normal. É o jeito da ARP atuar: em formato coletivo, colaborativo. Fica o convite para todo mundo deixar o seu recado, para que possamos evoluir todos juntos”, comenta a presidente da ARP, Liana Bazanela.

O vice-presidente de Criatividade da entidade, Gustavo Lacerda, está à frente da ação. Ele ressalta que tudo deve mudar na comunicação nas próximas semanas, meses e anos. “E as restrições que vieram com o coronavírus estão aí pra acelerar essa mudança. Então, a gente teve a ideia de chamar as pessoas pra compartilharem mudanças positivas que estão fazendo e que vão ajudar em uma renovação do nosso mercado, e até da própria sociedade”, analisa.

Para participar, basta fazer um vídeo nos stories contando o que você está fazendo de diferente para enfrentar a crise, marcar o @arpnews e o @ de alguém que deseja desafiar a participar, e incluir a #reinventARP.

MANIFESTO

O Grupo de Live Marketing do RS lançou um manifesto para pleitear junto ao mercado e aos órgãos públicos o reconhecimento de ações focadas na regulação, controle e expansão dos negócios:

“Poderíamos começar este manifesto com o poema de Carlos Drummond de Andrade, “José” [1942], que traduz um sentimento de solidão, de abandono e desesperança. No entanto, desejamos mudar qualquer sentimento negativo. Dado o quadro da crise Covid 19, aprendemos que não devemos pensar e agir isoladamente. Atuamos no setor de eventos. Nosso trabalho se faz em diversos segmentos, preservadas as suas peculiaridades, desde o social, ao desportivo, lazer, científico, cultural, artístico, turístico, empresarial, entre outros. Além de abraçar uma cadeia de hospedagem, alimentação, transporte, comunicação/mídia, estruturas de montagens técnicas. E reunir um elenco significativo de trabalhadores que precisam se manter e viver: produtores, jornalistas, relaçõespúblicas, publicitários, gráficos, designers, locutores, carregadores, mestres de cerimônia, recepcionistas, fotógrafos, cinegrafistas, artistas, palestrantes, técnicos de som e luz, seguranças, advogados, médicos, enfermeiras, técnicas de enfermagem, chefes, auxiliares de cozinha, garçons, bombeiros, arquitetos, decoradores, floristas, motoristas […]. Agora, a dura realidade, este elenco significativo de pessoas e as perdas que tivemos, nos fez sentar e refletir juntos. E hoje podemos dizer, sem romantismo, e por necessidade de enfrentamento, que somos um só. Embora, múltiplos.

Quem somos:

O último estudo do mercado de eventos disponível – Dimensionamento Econômico da Indústria de Eventos no Brasil – realizado em 2013 pela ABEOC (Associação Brasileira de Empresas de Eventos), SEBRAE e Universidade Federal Fluminense, revela os números que o setor representa: 4,32% do PIB – 60 mil empresas em toda a cadeia de serviços – 1 milhão 893mil empregos diretos e terceirizados – R$ 209,2 bilhões de faturamento, em toda a cadeia de serviços – R$ 48 bilhões em impostos- 590 mil eventos realizados – 203 Milhões de participantes nos eventos. Apesar de não existir estudo mais recente, estima-se que o setor de eventos tem crescido em média 6,5% ao ano, no período dede 2013 a 2019. Independente do tamanho e da proposta, somos realizadores de eventos. Trabalhamos com o sonho, com a vivência, o retorno, o prazer, a satisfação, a provocação, o vínculo, o encantamento, o envolvimento de nossos públicos – contratantes, patrocinadores, apoiadores, em especial, daqueles que se nutrem daquilo que ofertamos. Até porque, para nós, a cultura e o entretenimento são relevantes e merecem cuidados, não somente por representarem o nosso ramo econômico, mas, como registramos, por serem agentes da felicidade e da memória afetiva despertadas em cada um, que experimenta o seu desejo ou momento inesquecível. Todos os setores da sociedade estão preocupados com a retomada. Precisamos também nos organizar. Não nos interessa quando. Contudo, quando este momento chegar, estejamos preparados e com segurança. Nesse processo, nossa representatividade e reconhecimento, independente de tamanho e perspectivas, precisam ser estabelecidos, por isso os protocolos são primordiais e, ao mesmo tempo, surgem como nossa porta de garantia para aqueles que dependem e/ou valorizam este setor – nossos públicos -, na dimensão ampla desta expressão. Por isso, integrar os nossos interesses e objetivos, neste contexto de crise, considerando o futuro próximo, é imprescindível. Nossos parceiros são também fundamentais. E os governos, igualmente. Reforçamos que os eventos, como alternativas de aproximação, de integração, de fixação, de lançamento, de construção, de promoção beneficiam outros setores da sociedade, sem esquecer que a cultura, em suas diversas possibilidades, precisa permanecer em pauta, seja ela do entretenimento, da informação, do aprendizado, do consumo, do social, enfim. Logo, a cultura é relevante e exige atenção de todos nós.

O que queremos:

Reivindicamos um olhar sensível às nossas demandas. Somos um grupo de empresas da área de eventos e Live marketing que objetiva organizar o setor e pleitear junto ao mercado e aos órgãos públicos o reconhecimento de ações focadas na regulação, controle e expansão dos negócios. Nosso primeiro propósito é criar um grupo de trabalho que atue em parceria com os governos – municipal e estadual -, para conceber os melhores e mais assertivos protocolos, durante o período de pandemia. Uma vez efetivada esta primeira fase, queremos crescer e conquistar representatividade, com atuação contínua na melhoria do setor. Para tanto, a presença e colaboração de todos os players do setor de eventos torna-se essencial. Sua ajuda nesta missão é indispensável. E, para não esquecer Drummond: “E agora, José? E agora, você?”. Sua participação será a maior e mais expressiva produção de 2020. Sejam bem-vindos!”

FEEVALE

Acadêmicos dos cursos de Publicidade e Propaganda, Design, Moda e Arquitetura e Urbanismo da Universidade Feevale foram estimulados a desenvolver projetos culturais, tendo como base os setores nucleares de economia criativa. A proposta da disciplina de Processo Criativo, ministrada pelo professor Cristiano Max Pereira Pinheiro, se transformou no Festival On-line Cultural e Artístico, que conta com 27 produções acadêmicas, como jogos educativos, vídeos e demais opções de entretenimento para este período de pandemia de coronavírus.

De acordo com Pinheiro, o exercício teve como objetivo trabalhar áreas da econômica criativa, como artes, música, teatro, literatura, audiovisual e jogos digitais. “O experimento é importante para desenvolver uma musculatura criativa nos acadêmicos, para que eles possam aperfeiçoar as suas habilidades e a sua criatividade para a produção de seus produtos ou serviços. Não existe serviço criativo sem um artista em desenvolvimento”, afirma.

Ainda segundo o docente, a iniciativa colabora com a cultura, ao oferecer à comunidade a produção artística dos acadêmicos, como parte da cura para a saúde mental neste momento de isolamento social. “Devido ao momento atual vivido no mundo, em virtude do coronavírus, todas as produções possuem relação temática com a pandemia”, enfatiza. Entre as iniciativas está o Covid Game, desenvolvido em formato de quiz pelas acadêmicas Thais Stella Waceleski e Millena Kupsinskü Martins. O jogo virtual, destinado a crianças de 7 a 12 anos, está disponível em: http://b.link/covid-game.

Millena explica que, além da experiência em programação, elas decidiram pelo game para criar um mecanismo que pudesse, ao mesmo tempo, ser divertido e conscientizar o público sobre formas de prevenção. “Todas as informações que utilizamos foram baseadas na cartilha infantil do Ministério da Saúde sobre o coronavírus, o que nos ajudou a definir a faixa de idade do público principal e o tipo de linguagem que seria utilizado no jogo”, complementa a estudante.

ORQUESTRA VILLA-LOBOS BOTA “BLOCO NA RUA”

“Eu quero é botar meu bloco na rua. Brincar, botar para gemer. Gingar, pra dar e vender.” Os versos da música “Bloco na Rua”, de Sérgio Sampaio, ficaram conhecidos em 1973 e remetem ao que todos gostariam de fazer agora, 47 anos depois, sem pandemia e com alegria. Virtualmente e pelo  www.catarse.me/bloco_na_rua , é posssível fazer isso para manter viva a Orquestra Villa-Lobos, cuja atuação está em risco por causa da Covid-19.  Os cerca de 600 atendimentos gratuitos por semana, em cinco locais da Lomba do Pinheiro, por meio de convênio da Prefeitura de Porto Alegre com o Centro de Promoção da Criança e do Adolescente São Francisco de Assis, foram interrompidos devido às incertezas provocadas pela disseminação do novo coronavírus. Os recursos disponibilizados pelo poder público municipal que permitiam o funcionamento da Orquestra foram suspensos em abril por tempo indeterminado, causando o desligamento de 20 professores contratados.

Então, para botar o bloco na rua outra vez a campanha, com o mesmo nome, foi desenvolvida, inicialmente, para arrecadar R$ 55 mil, valor necessário para o programa de educação musical funcionar durante um mês. “Mas é importante deixar claro: precisamos de mais de um mês para garantir a sobrevivência da Orquestra! Nosso plano é assegurar pelo menos três meses de funcionamento – julho, agosto e setembro – com recursos vindos deste financiamento coletivo. Nossa esperança é de que, durante este período, o convênio com a prefeitura seja renovado, e as atividades retornem à normalidade”, esclarece a idealizadora e coordenadora do programa, Cecília Rheingantz Silveira.

É ela, também regente, que explica o porquê do nome da iniciativa: “Bloco na Rua está no repertório do espetáculo Paz & Amor da Orquestra Villa-Lobos, vencedor do Prêmio Açorianos de Música 2018. E nos identificamos pois é a cara da nossa orquestra, cujo repertório é essencialmente popular”.

As contribuições podem ser de R$ 20, R$ 50, R$100 e R$ 400, sendo que cada uma tem recompensas que vão desde o livro de poemas “Imagina e o cão”, da artista plástica Ivone Rizzo Bins; passando pelo CD “Noturno”, da cantora e compositora Anaadi; o CD do show “Encontro de Gerações na Música Instrumental Brasileira”, do violonista e compositor Yamandu Costa; a aulas online de piano/teclado, ou de violão, ou de cavaquinho, ou de percussão.

Há, ainda, os pontos máximos da solidariedade. Quem apoiar com R$ 2.000, poderá desfrutar do Concerto do Quarteto de Cordas da Orquestra Villa Lobos. Quem chegar aos R$ 3 mil, poderá escolher entre um show do Pagode do Bronx, banda da Vila Mapa composta em sua maioria por músicos da Orquestra Villa-Lobos; ou da Fábrica de Gaiteiros/unidade CPCA Porto Alegre, com participação especial de Renato Borghetti; ou, por fim, de Pedrinho Figueiredo e a música instrumental da Orquestra Villa-Lobos.  Qualquer uma dessas recompensas só poderia ser vivenciada no segundo semestre de 2020. As apresentações de 45 minutos, todas em Porto Alegre, dependerão, claro, das orientações de saúde em vigor naquele período e da agenda dos músicos. Todos os que derem seu suporte em qualquer uma das modalidades terão o nome na lista de apoiadores a ser publicada no final da campanha na página da Orquestra no Facebook.

Beto Chedid é uma das “recompensas” da campanha. Ele será o professor das quatro aulas individuais de violão de uma hora cada. Há 14 anos envolvido com a Orquestra como oficineiro, procura concretizar a educação por meio da música. “Com muito amor, determinação e ética, se faz um trabalho sério que proporciona oportunidades a muitas pessoas. Desde aprender um instrumento musical até uma carreira exitosa de músico e professor no Exterior. Isso não pode parar”, diz ele.

Atualmente, o grupo artístico é formado por 45 músicos, com idades entre 12 e 25 anos, que tocam flauta doce, violino, viola, violoncelo, violão, percussão, teclado, contrabaixo elétrico e cavaquinho.

Mais sobre a orquestra

A Orquestra Villa-Lobos é um projeto de educação musical desenvolvido desde 1992 junto à Escola de Ensino Fundamental Heitor Villa-Lobos, na Lomba do Pinheiro, na periferia de Porto Alegre (RS). Sob a regência de Cecília Rheingantz Silveira, também idealizadora e coordenadora do programa, a Orquestra lançou dois CDs (o Trenzinho do Caipira, de 2002, e Olhos Coloridos, de 2008), um livro (Orquestra Villa-Lobos – Música que Transforma, de 2012) e um DVD (Orquestra Villa-Lobos ao Vivo, de 2013). Ao longo de quase 30 anos, a Orquestra já fez mais de 1,2 mil concertos, que foram assistidos por mais de 350 mil pessoas. Além disso, o programa recebeu menções importantes de instituições ligadas à música, à cultura e à educação, se consolidando como uma das principais iniciativas da área no Brasil.

Para saber mais sobre a Orquestra Villa-Lobos, acesse o canal do YouTube  https://www.youtube.com/OrquestraVillaLobos.

CRITÉRIO E MKTING FIRMAM PARCERIA

A Critério – Resultado em Opinião Pública e a MKTING Business Hub são as mais novas parceiras da Fundação Gaúcha dos Bancos Sociais. A entidade, idealizada e mantida pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), uniu-se às empresas para tirar do papel um projeto ambicioso: renovar e fortalecer sua imagem, revitalizar sua marca e profissionalizar sua comunicação.

O objetivo será promover um maior envolvimento de apoiadores e possíveis patrocinadores às causas sociais vinculadas à fundação – que, entre suas ações mais recentes, lançou uma campanha de doações virtuais voltada ao enfrentamento do coronavírus. O planejamento prevê, ainda, a realização de atividades de formação, produção de revista anual e relatório digital, criação de novo site e reestruturação das redes sociais.

Sócio-fundador da Critério, Cleber Benvegnú comemora a parceria e acredita que o fortalecimento da imagem da instituição estreitará a relação com a sociedade. “Os Bancos Sociais da Fiergs são um patrimônio do Rio G         rande. Ampliar o alcance da comunicação e o engajamento desse projeto é mais do que um trabalho, é uma compromisso social nosso”, avalia Benvegnú.

De acordo com o sócio-diretor da MKTING, Tiago Dimer, o projeto não irá gerar custos à fundação, sendo viabilizado a partir de parceiros. “Os Bancos Sociais prestam um serviço de enorme relevância para quem mais precisa. E isso precisa ser mostrado. Profissionalizar a comunicação da fundação se refletirá em um novo posicionamento e, por consequência, na geração de capital à própria instituição”, aponta Dimer.

Fazer o Bem

Com reformulação do conteúdo e da identidade visual, a revista “Fazer o Bem” será um dos destaques da parceria. A intenção é reposicionar gráfica e editorialmente a publicação e estabelecer novas possibilidades de mídia. “Buscamos oferecer às empresas um espaço nobre para conectar suas marcas a algo que tem cada vez mais relevância na opinião pública: as ações sociais”, salienta Dimer. Além de viabilizar a produção da revista, os recursos obtidos serão ainda revertidos à fundação.

Indústria da Solidariedade

A Indústria da Solidariedade foi idealizada, desenvolvida e implementada pelo Conselho de Cidadania da Fiergs e tem por objetivo inserir, de forma efetiva, o empresariado gaúcho na área de responsabilidade social. São 14 bancos vinculados à fundação – entre eles o de Alimentos, de Livros, de Órgãos e Transplantes e de Resíduos.

STALIMIR CARVALHO VIEIRA

Se o preço para retomar a elegância, a delicadeza, a educação, a civilidade e a cultura, é receber junto um pouco de hipocrisia, tudo bem, eu pago. O que não dá mais para suportar é essa convivência com a grosseria, com a estupidez, com o palavreado chulo, com a apologia da ignorância, com a banalização da violência. Nada justifica tanto baixo nível. Sinceridade e espontaneidade só são méritos quando revelam contribuições para a coexistência. Não são e nunca serão atenuantes para demonstrações de total desprezo pela educação e pela civilidade.

PRN – INNOVATION CENTER

O PRN – Plano de Retomada ao negócio é o curso online de duas horas do professor Juan Pablo Boeira no dia 25 de maio (segunda-feira), das 19h às 21h, onde serão apresentadas e disponibilizadas ferramentas práticas de como voltar a faturar imediatamente e ainda criar relevância para sua marca e seu negócio.

Ingressos online no link: https://www.sympla.com.br/curso-plano-de-retomada-do-negocio__849915?fbclid=IwAR2-x3XLDxUu0pdvXMwp7qxb3TDdQru1sennXVcZo_HyWgU4-q7iiiPQVww

SPR

Não são apenas as adversidades e os perigos da estrada. Tem a distância, a saudade. E toda a questão da saúde e dos cuidados para prevenção do coronavírus (Covid-19). Em tempos de pandemia, tudo isso fica mais intenso. Enquanto os caminhoneiros estão na estrada, suas famílias estão esperando por eles, torcendo para que tudo dê certo e que retornem para casa com segurança. Essa é a mensagem do filme que a SPR criou para a Randon Implementos para um motivo nobre: homenagear, valorizar e agradecer esses profissionais da estrada, que enfrentam muitas dificuldades e, ainda assim, não pararam durante a pandemia. Não pararam para continuar abastecendo o Brasil.

De forma empática, a Randon Implementos se coloca no lugar dessas pessoas – os caminhoneiros e suas famílias, um dos principais públicos da marca – dividindo com eles o mesmo sentimento de afeto e cuidado. “Segue com cuidado, caminhoneiro. Também estamos com você é o conceito da ação institucional criada pela SPR para a maior fabricante de reboques e semirreboques da América Latina e entre as maiores do mundo.

“O nosso desafio enquanto parceiro de estratégia e criatividade da Randon Implementos foi criar um filme com tom emocional, que sensibilizasse a população sobre a importância dos caminhoneiros e que gerasse reconhecimento para esses profissionais, mostrando que tudo o que eles fazem também fazem por todos nós”, pontua Juliano Brenner Hennemann, diretor-executivo da SPR.

Confira o vídeo em https://cutt.ly/ByYlwH0

FIERGS

O Centro de Eventos FIERGS acaba de lançar o Estúdio F – Plataforma de Streaming e Conteúdo, um dos primeiros espaços instalado dentro de um centro de eventos no Brasil e equipado para a transmissão pela Internet de eventos corporativos. Ele está numa área de 300 metros quadrados, com pé direito de 3,3 metros, tela de LED curva com 34 metros quadrados, iluminação, sonorização, além de todos os equipamentos e técnicos de vídeo e streaming necessários.  O local ainda oferece estacionamento, camarim, climatização, gerador, cafeteria, serviços de higienização e limpeza, entre outros.

Com a pandemia da Covid-19, veio a restrição às aglomerações, paralisando totalmente a cadeia do setor – convenções, espetáculos culturais e feiras e outros. Os eventos híbridos já vinham sendo realizados e ganharam um forte impulso, pois hoje são a única forma de realização de ações para um grande número de participantes. O Estúdio F comporta eventos semipresenciais de qualquer tamanho e formato, com transmissões ao vivo ou gravadas, por mídias sociais, como Facebook, Youtube e Instagram, ou por meio de plataformas fechadas, quando o acesso precisar ser restrito.

O Centro de Eventos FIERGS é considerado um dos mais qualificados equipamento do segmento no Brasil e conta com três áreas: o Centro de Convenções, um conjunto de salas que atendem de pequenos públicos a eventos com mais de 600 pessoas; o Teatro do Sesi, com capacidade de até 1.750 lugares; e o Centro de Exposições, o pavilhão de feiras, com 15 mil metros quadrados de área construída, que completa em 2020 o seu vigésimo aniversário.

GRUPO RBS

Em tempos de isolamento, com ruas vazias e cidades silenciosas, a música se tornou uma companhia vital para atravessar esse período com mais leveza. O setor, porém, foi um dos mais impactados financeiramente com a crise. Pensando nisso, as rádios Atlântida e 92 e o programa Galpão Crioulo conectaram a solidariedade às iniciativas que buscam amenizar o distanciamento social e, a partir desta segunda-feira (18), passam a promover a série de lives “Musica Daqui”. O projeto, que tem o patrocínio de Banrisul, terá a participação de grandes nomes da música gaúcha e buscará arrecadar doações para profissionais do meio artístico do Estado que estão sendo impactados pela crise.

Valorizando a música gaúcha em todas as suas formas e gêneros, durante três semanas o projeto convidará artistas locais para participarem da ação. Atlântida e 92 realizarão cinco lives, cada uma delas com três artistas, enquanto Galpão terá duas, com apresentações de uma única atração, totalizando 12 apresentações virtuais com participação de 32 músicos gaúchos.

A série estreia hoje nas plataformas digitais da 92, às 16h, com apresentação do comunicador Hans Ancina e participação dos artistas Kauan Furacão da Vanera, Novo Extima e Sandro Coelho. Ao longo dos próximos dias, artistas como Joel Carlo, Sandro e Cícero, Pura Cadência e Léo Pain estarão no projeto.

Já na Atlântida, as transmissões acontecerão no canal do Youtube da emissora. A primeira delas ocorrerá nesta terça-feira (19), às 20h, com apresentação do comunicador Rafinha e participação dos cantores Claus e Vanessa, Rafael Malenotti e Serginho Moah. Até o dia 4 de junho, o público poderá acompanhar as lives de artistas como Comunidade Nin-Jitsu, Tequila Baby, Lucas Silveira e Dingo Bells.

O Musica Daqui também está na tela da RBS TV com o Galpão Crioulo desde o último sábado (16), com o quadro que leva o nome do projeto. Durante as próximas semanas, no programa, Neto Fagundes e Shana Muller vão receber Hans Ancina e Rafinha e algumas das atrações das lives de 92 e Atlântida. Da mesma forma, em duas edições o programa contará com duas bandas tradicionalistas convidadas, para um bate-papo e boa música. No Instagram do Galpão Crioulo, artistas locais da música nativista também participarão em lives, estreando nesta sexta-feira (22), às 19h, com o grupo Tchê Guri.

Nos vídeos, o público poderá direcionar seu auxílio, via leitura de QR Corde ou pelo site musicadaqui.com.br, a uma das entidades participantes do projeto, como a Associação de Músicos do Rio Grande do Sul.

DESAPRENDA DIGITAL

O consultor de empresas, professor da PUCRS/Famecos e escritor, Cassio Sclovsky Grinberg está disponibilizando uma palestra online chamada “Desaprenda” em formato digital para abrir espaço para novos conhecimentos, hábitos e comportamentos que surgem durante a pandemia. O conteúdo é bem aprofundado e de fácil absorção em que Cassio explica como lidar com essas questões. Para mais detalhes entre em contato diretamente com o palestrante.

INVESTIMENTO 4.0

Aprenda sobre o novo mundo dos investimentos. Saiba como ter sucesso investindo com as fintechs nas modalidades de investimentos recém-reguladas.

Agora com a versão na Plataforma de Educação da Starse! Confere lá: https://cursos.startse.com.br/investimentos-quatro-ponto-zero/

GLOBO

Para se dedicar ao mercado carioca, agora a Rádio Globo passa a existir somente no Rio de Janeiro.

A mudança acontece já no próximo dia 31. Em nota, a Globo explicou:

“No próximo dia 31 de maio, a Rádio Globo encerra a sua operação em São Paulo no FM 94.1 e fecha o ciclo de desmobilização da rede de transmissão para todo o Brasil.

Com foco no Rio de Janeiro desde julho do ano passado, com a programação voltada ao público jovem popular, a Rádio Globo teve um crescimento expressivo de audiência não só na capital, como na Baixada Fluminense e Região Metropolitana. Para seguir avançando, a Rádio Globo entende que é fundamental fortalecer a sua grade local e apoiar a vibração da cultura carioca para a evolução do atual modelo de negócios.

A partir de 1° de junho, a Rádio Globo passa a reproduzir totalmente o compartilhamento dos jovens do Rio na frequência 98.1 FM, e fortalece a identificação já criada com o público carioca. Entre uma música e outra, o jornalismo cumpre a missão de apresentar informações relevantes ao vivo diariamente, e o esporte continua levando emoção aos apaixonados com a equipe do Futebol Globo CBN, mesmo com todas as competições adiadas.”

JUNIOR ACHIEVEMENT RS

Educação, empreendedorismo e inovação. No momento de crise atual, essas palavras ganham ainda mais importância para a orientação do futuro de nossos jovens. Fundamentando-se nelas, a Junior Achievement Rio Grande do Sul lança, a partir do dia 26 de maio, uma iniciativa inédita de digitalização de seus programas educacionais. Os cursos disponibilizados – no total, cinco – são de curta duração e contemplam as áreas de finanças pessoais, soluções inovadoras no âmbito empreendedor e preparação para o mercado de trabalho. Eles serão aplicados semanalmente, em horários extraclasse e até o fim de junho, por profissionais voluntários com experiência no setor. Os programas têm como público-alvo alunos que estiverem regularmente matriculados no Ensino Médio ou no 8º ou 9º ano do Ensino Fundamental. A iniciativa conta com o apoio do SEBRAE.

MERCADO MUNDIAL

Diversas enquetes e pesquisas indicam que, nos Estados Unidos e Reino Unido, a queda do mercado será inevitável, mas menor que o inicialmente esperado, dois meses atrás.
Preventivamente, o nível de dispensa de pessoal foi elevado em Nova Iorque e um pouco menor em Londres, Chicago e Los Angeles. Houve várias fusões de agências do mesmo grupo e até alguns fechamentos – mas também algumas raras aberturas de agências.
Na segunda quinzena de maio, a perspectiva era melhor e se esperava queda para 2020, mas não tão grande como antes, no começo da crise.
A Marketing Dive encomendou uma pesquisa para a Advertising Perceptions e ouviu de uma amostra de 151 marcas que 52% pretendem retornar ou aumentar seus investimentos a partir do final de junho. Por outro lado, 42% parou tudo até mais tarde neste ano.
Enquete feita pela Campaign junto aos chefes financeiros de grandes agências nos EUA e Europa indica que dois terços deles não espera voltar a operar em seus escritórios até setembro, mas a previsão em relação à queda de receita passou de cerca de 45% em março para perto de 20% agora.
Agora, três em cada cinco deles dizem que definitivamente não estão preocupados com a viabilidade futura de suas agências, contra dois em cada cinco na pesquisa anterior, enquanto o dobro (52% em comparação com 27%) disse que ainda é muito cedo para ter certeza.
Por sua vez a Marketing Week avaliou, com base em dados da Nielsen no Reino Unido, que enquanto as verbas de viagens (queda de 48%), entretenimento (menos 17%) e de telecons (menos 15%) foram reduzidas em muito em março, as de comida, do governo e de computadores aumentaram, respectivamente 18%, 22% e 41%. Uma categoria pequena, varejo online, chegou a crescer 208%.
A semana do lockdown no Reino Unido foi o pior momento, com queda de  38%. No mês de março, a menor redução relativa foi da TV, que acabou o período com 70% de participação no bolo das mídias tradicionais.
As maiores verbas foram da Unilever e da P&G, sendo seguidas pela NHS (o SUS inglês). Os supermercados Asda, Aldi e Tesco vieram logo atrás.
A mesma revista, com base em dados da Advertising Association e Warc, prevê uma queda total do mercado de 16,7% este ano, sendo que no caso do digital, na faixa de 12,7%, representa a primeira redução de receita em uma década.
A má notícia da última semana de abril veio da WFA, a entidade global dos anunciantes, que divulgou que uma enquete feita junto a seus associados registrou que 89% deles estava segurando suas campanhas por, pelo menos, 6 meses.
Globalmente, a WFA calculou que o investimento em TV cairá 33% no primeiro semestre deste ano. A mídia impressa, porém, cairá mais, 37%, o OOH vai perder 49% e os eventos, 56%. O digital deve ganhar share, pois as reduções previstas são menores, de 7% para vídeos e 14% para displays.
Outros canais, como rádio (-25%), ponto de venda (-23%) e marketing de influenciadores (-22%) deverão sofrer cortes significativos.

THE FIRST MODERN PANDEMIC

De acordo com Bill Gates, um dos maiores gênios da humanidade, a inovação deve acontecer em cinco áreas:

  1. Gates disse que precisamos de um tratamentodecoronavírus que seja pelo menos 95% efetivo para que pessoas se sintam realmente confortáveis em retornar à eventos públicos. Se não tivermos nenhum tratamento bom suficiente, será necessária uma vacina que nos ajude a voltar ao normal.
  2. Gates reconhece os desafios em torno do desenvolvimento rápido de uma vacina para o COVID-19, comentando que a imunização típica pode levar cinco anos para ser lançada no mercado. Ele acredita que o prazo de 18 meses dado por funcionários do governo norte-americano é mais provável, mas que pode levar mais tempo ou acontecer um pouco mais rápido.
  3. Testes rápidos de coronavírus tem um papel crucial em ajudar na reabertura da economia de diversos países e precisa ser disponibilizado para quaisquer habitantes que possuam sintomas do COVID-19, assim como pessoas que estiveram em contato com infectados. O ideal é fazer a maior quantidade possível de testes sem que pessoas precisassem sair de suas casas.
  4. Rastrear pessoas que estiveram em contato com infectados, conhecido como “Rastreamento de Contato”, pode ajudar na prevenção da proliferação da pandemia. Segundo BillGates, seguir a estratégia da Alemanha seria essencial, contratando mais pessoas para auxiliar na fase de estudos, testes e distribuição de vacinas.
  5. Decisões referentes a reabertura de diferentes partes da economia serão desafiadores e exigem cuidado redobrado de líderes da cada país, analisando os riscos que o setor pode apresentar para uma nova fase de propagação da pandemia. Gates disse que escolas deveria reabrir rapidamente, pois oferecem um benefício muito maior para a sociedade, enquanto grandes eventos como show e competições esportivas podem esperar mais. Muitas outras decisões deverão ser tomadas, desde a limitação de pessoas em um restaurante, até a reconfiguração de fábricas para que trabalhadores tenham maior segurança em seu retorno.

APP ZOOM

Em meio à pandemia do COVID-19, muitas pessoas passaram para o trabalho – e a socialização – de casa. Se essas tendências se tornarem o novo normal, certas empresas poderão receber um grande retorno.

A popular empresa de videoconferência, Zoom Communications, é um excelente exemplo de organização que se beneficia dessa transição. Uma visão dramática de quanto a avaliação do Zoom disparou durante esse período incomum na história.

Em 15 de maio de 2020, a capitalização de mercado da Zoom subiu para US $ 48,8 bilhões , apesar de ter registrado receita de apenas US $ 623 milhões no ano passado.

LEIA MAIS

Em DESTAQUE: Hábitos de Consumo Após Covid-19

Em ESPECIAL: Consumidor: Compras Impulsivas Diminuem Durante a Crise

Em VÍDEOS: Out Of Home: SP; SBT Aprensenta: “Live na Bravalandia”; Grupo Vulcabras: “É Hora de Manter o Máximo de Empregos Possível”.

Tem OPINIÃO, CHARGE do talentoso Cado Bottega e ARTIGOS: do empresário Fernando Goldsztein; de Zeca Honorato – consultor e palestrante nas áreas de publicidade, marketing político e comportamento; Silvio Sibemberg – empresário especialista em varejo; Vieira da Cunha, um dos fundadores de Coletiva.net e do nosso articulista José Maurício Pires Alves.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *